web analytics

Jane Austen nasceu em 1775 durante o reinado de George III e faleceu em 1817 no período da Regência, que foi exercida pelo príncipe de Gales de 1810 a 1820.

Os primeiros livros de Jane foram escritos entre os anos 1795-1799 mas todos só foram publicados depois de 1811, portanto já no período da Regência. Vejam a cronologia abaixo.

  • Elinor e Marianne (1795-96) mais tarde nomeado Sense and Sensibility – publicado em 1811 | Razão e sentimento ou Razão e sensibilidade
  • First Impressions (1796-97) mais tarde nomeado Pride and Prejudice – publicado em 1813 | Orgulho e preconceito
  • Susan (1798-99) mais tarde nomeado Northanger Abbey – publicado em 1818 | A Abadia de Northanger
  • Mansfield Park (1881-1813) – publicado em 1814
  • Emma (1814-1815) – publicado em 1816 e foi dedicado ao Príncipe Regente
  • Persuasion (1815-1816) – publicado em 1818 | Persuasão

Um pouco de história

O rei George III casou-se com Charlotte of Mecklenburg-Strelitz em 1761. Tiveram 15 filhos e segundo consta foi uma união feliz. Quando assumiu o trono em 1760 escolheu como seu primeiro ministro o Conde de Bute que o isolou dos políticos mais velhos e experientes. Foram anos instáveis e após a demissão de Bute seguiram-se dificuldades financeiras e a Guerra dos Sete Anos. Em 1770 o rei escolheu outro ministro, Lord North. Embora bom administrador North teve seu período dominado por desavenças com os colonos na América do Norte dando início a guerra em 1775. Em 1781, com a derrota dos ingleses, North demitiu-se. Em 1783, North e Fox, outro politico proeminente do partido Whig (liberal) formaram uma coalizão de governo e queriam reformular a Companhia das Índias. O rei forçou a derrota desse plano no Parlamento e recuperou sua popularidade e nomeou William Pitt (o Jovem) como primeiro ministro. A habilidade de Pitt e a guerra contra a França reforçaram a posição do rei, mas divergências entre ambos sobre o Ato de Emancipação dos Católicos – Pitt a favor e o rei radicalmente contra – levaram a demissão de Pitt em 1801. Durante seu reinado também teve início a campanha para tornar ilegal o tráfico e comércio de escravos na Inglaterra e Colônias.

Além de todos os problemas de governo e com a família, George III, nos anos de 1788-89 e em 1781, teve surtos de uma doença hoje conhecida como porfiria. Finalmente em 1810 foi declarado totalmente incapaz e foi substituído por seu filho, o príncipe de Gales, como Príncipe Regente até a morte do rei em 1820, quando finalmente assumiu o trono como rei George IV.

O Príncipe Regente ficou famoso por sua vida dissoluta e seu Pavilhão Real em Brighton que foi decorado exóticamente com detalhes chineses e indianos. Pai e filho não davam-se nada bem. Em 1785  o príncipe casou-se secreta e ilegalmente com uma católica, Maria Fitzherbert e 1795, fez um acordo com o Parlamento que pagou suas dívidas para casar-se oficialmente com a princesa Caroline de Brunswick de quem tentou inutilmente divorciar-se mais tarde. George IV, como rei , nunca teve muito interesse pela politica mas foi grande patrono das artes. Podemos aqui lembrar o caso das obras de Jane Austen que ele tinha uma coleção em cada uma de suas residências. Jane apesar de não gostar nada do príncipe, cedeu as pressões e dedicou-lhe Emma. George e Charlotte tiveram apenas uma filha que morreu no parto e em 1830 quando de sua morte o trono passou para seu irmão, o Duque de Clarence que assumiu o trono como William IV.

William IV reinou de 1830 a 1837 e assumiu o trono com 64 anos. Apesar de ter vários filhos com a atriz irlandesa Dorothea Bland não os tinha com esposa, a princesa Adelaide of Saxe-Meiningen e quando faleceu deixou o reino para a sobrinha, a princesa Victoria de Kent, a famosa rainha Victoria que deu nome ao período Vitoriano.

Coloquei os filmes abaixo que são bem interessantes e ajudam ilustrar as épocas mencionados no post.

Views: 299

Artigos recomendados

4 comentários

  1. Post muito oportuno, Raquel. É uma confusão muito comum, que o filme “Orgulho e Preconceito” com Laurence Olivier só ajudou a perpetuar.

    Deve ter sido difícil para Jane Austen, vinda de uma família estruturada e com fortes valores morais, ter que dedicar um romance ao George IV.

    1. Elaine,
      e no entanto George IV gostava muito dos livros dela, não é admirável?

  2. Muito esclarecedor Raquel, assiti The young Victoria e a principio me pareceu um pouco confuso de entender porque ela era herdeira do trono.
    Raquel porque Northanger se chamaria Susan? Catherine era pra ter esse nome?

    1. Nique
      sobre Northanger Abbey ter o título de Susan sei apenas que quando tentaram publicar, por volta de 1803, constava esse nome no manuscrito que anos depois ela comprou de volta esó foi publicado após a morte dela e já com o título final. Mas não sei dizer se nessa primeira versão a heroína chamava-se Susan.

Comentários estão encerrado.