web analytics

Na versão 1971 de Sense and Sensibility Margareth não faz parte da trama e  quem acompanha Marianne no seu fatídico passeio da queda é Elinor.

Mas o detalhe que me chamou a atenção foi a diferença nos trajes das duas: Elinor está com um vestido de  manga curta, um xale leve e  discreto regalo* de tecido. Marianne no entanto veste manga comprida e um regalo peludo. É como se as duas estivessem em climas diferentes!

* regalo, agasalho em forma de rolo para as mãos, muff em inglês.

Views: 109

Artigos recomendados

9 comentários

  1. Já vi acontecer em filmes mais recentes. Dizem ser falta de atenção de quem cuida dessa parte. Vai saber? Pode ser que Marianne tenha pressão baixa, e sinta mais frio.

    1. Na,

      também acredito que seja um problema de produção combinado com falta de verba para o figurino.

  2. É interessante que mesmo em filmes ou séries de época o figurino de algumas produções mais antigas parecem um tanto demodê, rsrsrs. Acredito que seja um caso de interpretação, pois sempre colocamos algo nosso em tudo que fazemos e a maneira de ver “o belo” em 1971 é bem diferente da atual.
    Obs. Gostaria de aproveitar o post sobre “Razão e Sensibilidade” e dizer que coloquei à disposição as partituras para piano e teclado da música tocada por Marianne na versão de 2008 da BBC, quem quiser…

    http://quandovovoeramoca.blogspot.com/2012/03/marianne-dashwood-e-linda-melodia-ao.html

    1. Patrícia,

      sim, cada filme tem um tanto de sua época de filmagem mas arrisco dizer, neste caso, que também não ligavam para detalhes. Há filmes antigos mais caprichados em vestuário.

      Muito obrigada, vou mencionar em próximo post esta raridade de Sense and Sensibility 2008.

  3. Obrigada, Raquel. Voltando ao vestuário, acho que se tratava da pouca concorrência em fazer uma boa produção, além da “grana” curta até mesmo para pagar um bom figurinista, rsrsr como é o caso de “Orgulho e Preconceito” de 1940 (quero postar algo sobre essa aberração também)com um figurino de 1860, emprestado de “…E o vento levou” pois o dinheiro era curto. Deu no que deu depois que vimos os outros…

    1. Patrícia,

      um orçamento curto levava a improvisos sem dúvida, mas tendo uma boa atuação eu nem me incomodo tanto. E confesso que gosto muito de Orgulho e preconceito 1940, com o figurino errado e modificações do enredo!

      PS: me avise quando escrever a respeito, obrigada

  4. Puxa, Raquel, sabe que por causa dessa figurino “fora de época” de “Orgulho e Preconceito” de 1940, nunca assisti a essa versão?! Sempre achei (não sei porque) que os mais atuais eram melhores e olha que não ligo por ser em preto e branco! Acho que pelos cenários, locações e também pelo figurino (também não assisti o 1971). Mas depois disso que você citou fiquei intrigada… Sei que Laurence Olivier foi um grande ator…Preciso quebrar algumas barreiras…Quando postar sobre o figurino te aviso e não vou esquecer desses detalhes. Obrigada!

    1. Patrícia,

      1940 é uma versão divertida demais e a fotografoia preto e branco também é muito boa.

Comentários estão encerrado.