web analytics
MISCELÂNEA,  Orgulho e preconceito

Mr. Darcy, a declaração de amor mil vezes repetida

Não importa, cada vez que encontro a cena da primeira declaração de Mr. Darcy tenho que ouví-la!

Com vocês a cena dirigida por Amber Eileen Creasser, com Rachel Wullenweber e John Keckeisen.

John Keckeisen Mr. Darcy

Rachel Wullenweber Miss Elizabeth Bennet

16 Comentários

  • Vanessa Rodrigues

    Ahhh essa primeira declaração…. mas a que eu mais gosto é a da versão de 2005, a da chuva… amo essa cena!!!!

    • Raquel Sallaberry

      Vanessa,

      eu gosto da do Colin Firth. Ele está agoniado que tenho vontade de ajudá-lo!

  • Marina

    Gostei das 3: essa do vídeo, a versão 95 e a de 2005. Cada diretor deu uma visão diferente à cena. E curiosamente cada ator fez o “seu Darcy”. Colin o fez agoniado mas ao mesmo tempo confiante de que seria aceito (o lado mais arrogante do personagem), Matthew o fez nervoso e desajeitado, pois deixou de lado sua “armadura aristocrática” e este ator aí, John Keckeisen foi uma surpresa p/mim! Mr. Darcy estava falando com cuidado,procurando não perder o controle, mas angustiado (ele conseguiu captar bem isso). Fico pensando como será o próximo. E outra coisa desta cena me veio à mente analisando Lizzy certo dia: Ela “perdeu” essa discussão, qdo Darcy contou seus motivos de interferir no romance de Jane e Bingley, o que ele falou era verdade, qualquer pessoa que estivesse só observando veria o quanto a família Bennet parecia interesseira, então, ela mencionou Wickham mais p/ferir Darcy do que para confrontá-lo com a suposta atitude errada que ela julgava saber dele. Espertinha é pouco né.

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      desde a primeira vez que li Oruglho, tomei partido de Mr. Darcy. Quando ele disse que qualquer selvagem pode dançar, eu me apaixonei!

  • Na

    Minha favorita é a declaração com Matthew Macfadyen, mas acho Colin Firth muito bom, também.

    • Raquel Sallaberry

      Na,

      antes de conhecer a versão 95 eu não morria de amores pela declaração do filme mas gostava… ao longo do tempo vendo outras atuações de Macfadyen as quais achei muito superior e fui perdendo o interesse. Agora mesmo estou lendo The Way We Live Now do Trollope e já havia visto a série no You Tube, onde Matthew faz o papel de Sir Felix Carbury Leio os diálogos do personagem com a voz ator!

  • Marina

    Colin foi o esteio da série de 95, só continuei vendo por causa dele, pois ela estava ficando monótona p/mim. Na minha escala de predileção, o filme está à frente da série, mas é pelo conjunto da obra, mesmo que não tenha sido tão fiel. Ele foi concebido com uma sensibilade e delicadeza tocantes e cada personagem marcou sua presença de alguma forma. Eu me emociono até hoje quando assisto. Agora Raquel, o que vc falou é verdade, o Mr. Darcy de Matthew é bom, mas ele foi p/mim como um cartão de visitas. De início o achei carrancudo e sem graça, mas o filme continuou e aquela “armadura” foi revelando um cara sensível, mas muito bobo (até hoje morro de rir da “cara de dor-de-barriga” do personagem), só que MM fez isso de forma sutil, a gnt vê, e se não continuar assistindo, acha uma droga, ele ganha a confiança do público à conta-gotas. E de fato, a partir de O&P, senti vontade de explorar outras atuações dele, e não me arrependi, estou curiosíssima p/vê-lo em “Anna Karenina”.

    p.s.: a propósito, “Morte vem à Pemberley” é show! Só uma fã de J.A. com a P.D.James para captar a essencia dela tão bem. Fiquei devaneando como seria essa continuação cinematográfica rs!

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      engraçado, com a medida do tempo fui cada vez gostando menos de OP 2005. Tenho inclusive que revê-lo mas estou adiando para uma resenha maior em 2013, bicentenário de Pride and Prejudice.

      Com os seus comentários vou pensar em ler Morte em Pemberley!

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      engraçado, com a medida do tempo fui cada vez gostando menos de OP 2005. Tenho inclusive que revê-lo mas estou adiando para uma resenha maior em 2013, bicentenário de Pride and Prejudice.

      Com os seus comentários vou pensar em ler Morte em Pemberley!

  • Vanessa Rodrigues

    Eu já preciso rever a série de 1995. Lembro de poucas coisas, uma delas é essa primeira declaração. Lembro que a série foi fiel ao livro, mas concordo com a Marina, no conjunto da obra fico com o filme, apesar de adorar o Colin Firth!

    Então o ano de 2013 promete… vamos ter muito o que falar sobre O&P!!

  • Nique

    Eu gosto bastante da adaptação de 2005, talvez porque a tenha assistido antes da versão 1995 e eu já assisti tantas vezes que já decorei os diálogos, mas embora O&P seja um dos meus livros favoritos da Jane quando eu penso em declaração e Jane Austen automaticamente eu começo a me lembrar do Knightley “I cannot make speeches, Emma, if I loved you less, I might be able to talk about it more…” Jane sempre escreve declarações muito marcantes, assim como a de Persuasion ” You pierce my soul. I am half agony, half hope.”
    Confesso que não assisti a todo o video, porque acho muito estranho ouvir um Mr.Darcy com sotaque americano.
    PS: Raquel, vc está gostando de Trollope?

    • Raquel Sallaberry

      Nique,

      verdade… esquecemos de Mr. Knightley!

      Sim, esotu adorando Trollope.

  • Marina

    Uau!!! Bem lembrado Nique!! Eu amoooooo a declaração de Mr. Knightley!! Aliás, p/mim ele é o mocinho de J.A. mais forte e mais guerreiro no quesito “amor incondicional”! Só muito amor mesmo p/aturar a coisinha chata da Emma desde os 13 anos dela, ouvir ela falar e fazer um monte de besteira esse tempo todo sem mudar de idéia quanto a esse amor e ainda se segurar nas botas ao se sentir ameaçado por Frank Churchill!

  • Marina

    E falando em “The Way We Live Now”, acabo de assistir a 1ª parte, e estou ADORANDO! É muito divertido! E tenho claro algumas observações:

    1)Meninas, Matthew está uma loucura como Sir Felix Carbury! Literalmente por sinal! Não sei se dou risada ou babo com aquela cara deliciosamente cínica dele.

    2) E Miss Melmotte hein…hum, hum! Ela pode ser inocente p/umas coisas, mas p/outras é espertinha até demais kkkkkk!! Mas também, com o insentivo poderoso que Felix deu, pudera…quero ver como ele vai lidar com o incêncio que provocou rsrs!

    3)Espero que o livro tão bom como a série(como sempre é), mas estou espantada com Matthew outra vez. No mesmo ano (2001) ele conseguiu ser muito bom como Sir Felix e ser completamente sem graça como o boboca do Daniel em “Perfect Strangers”! Talvez sejam os enredos, as histórias, eu achei P.S. um saco só! E algumas coisas nela, achei sem propósito algum. Foi a única série que assisti e deletei depois, chata, chata! Não tinha muito o que ser feito nela. Já TWWLN não, muito melhor! A atriz que faz Miss Melmotte,Shirley Henderson, está ótima, ela e MM roubam todas as atenções! Só não continuo vendo porque já é tarde e se eu fizer gosto, vou até 6 da manhã rs!

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      o livro é melhor, acredite. Shirley Henderson, Miss Melmotte, é uma atriz fabulosa.