web analytics
FILMES & SÉRIES

Os personagens de Jane Austen na nossa imaginação

Semana passada no post sobre a beleza das heroínas de Jane Austen, Elaine Dashwood, leitora do blog, comentou:

É uma discussão muito interessante, visto que, com relação à descrição física de seus personagens, Jane Austen deixa muito para nossa imaginação. Mas não sei em que medida nossa construção desses personagens já não está “contaminada” pelas inúmeras adaptações audiovisuais que já vimos.

Este é um ponto interessantíssimo pois um grande número de pessoas, pelo os mais variados motivos, principalmente os mais jovens, descobriram Jane Austen assistindo algum filme baseado em sua obra.

Eu li os livros primeiro e mesmo assim os atores e atrizes tem alguma influência na forma como imagino os personagens. Mas isso é algo que contarei para vocês ao longo da semana pois neste post gostaria de saber como vocês os imaginam.

Quão “contaminados” vocês estão pelos atores/atrizes dos filmes/séries de Jane Austen?

Pouco? Muito? Só por alguns artistas?

Imaginam outro artista da preferência de vocês para os papéis?

24 Comentários

  • Sandra Cabral

    Eu sou 100% contaminada pela versão filme para os personagens, quando leio invariavelmente eles ja estão na minha memória, acho todos muito adequados na escolha e no caso das oberas que possum a série e tambem o filme a unica coisa que faço e deixar rolar, no caso de O&P por exemplo Matthew Macfadyen e Colin Firth vem a tona conforme o tom do diálogo e intensidade da cena descrita e devo dizer que os dois não competem entre si pelo contrario convivem pacificamente no meu pensamento rsrsrs

    PS Quanto as Elizabeth acrescento que a Keira do filme 2005 no caso pra mim tem mais a intensidade de uma Lizzie que primeiro faz e depois pensa.
    Bjs Raquel

  • Júnior

    Acho que não estou muito “contaminado” pelos atores e atrizes. Para citar só as principais diria que Emma Thompson e Kate Winslet se encaixaram perfeitamente na forma como eu imaginava Elinor e Marianne e nas ocasiões em que releio trechos do livro as interpretações de ambas vem à minha mente. Outros me influenciavam no início, mas com o passar do tempo foram esvaecendo em minha imaginação. Já uma adaptação em que o elenco não me “contaminou” de forma alguma foi “A Abadia de Northanger”, de 2007.

    • Raquel Sallaberry

      Júnior,

      que supresa sobre a A Abadia… não gostou da escolha dos atores?

  • nanda cantão

    Eu estou totalmente contaminada… Sempre que penso ou falo do Sr. Darcy a imagem de Matthew Macfadyen vem automaticamente a minha cabaça… ja vi alguns filmes e series em que ele atuou… mas não importa qual seja o personagem pra mim ele sera eternamente SR. DARCY!!!

    • Raquel Sallaberry

      Nanda,

      nos eu caso contaminou todos seu filmes! Com Macfadyen, é claro!

  • Elaine Dashwood

    Eu percebo muito isso por uma discussão, por exemplo, sobre o fato de Elizabeth Bennet ser morena e Jane ser loura. Muitas pessoas fazem essa distinção, embora, por serem irmãs, o mais comum seria que tivessem o mesmo tom de cor de cabelo. Além do mais, o que impede Elizabeth de ser loura ou até ruiva? Por que ela tem que ter necessariamente olhos e cabelos escuros? Eu gosto, às vezes, de imaginar uma Elizabeth ruiva, com olhos castanhos cor-de-mel. Aí lembro que a Jennifer Ehle está exatamente assim hoje em dia, rs.

    • Raquel Sallaberry

      Elaine,

      minha influencia sobre os cabelos de Elizabeth é a referencia sobre seus olhos. Mas você tem toda razão, mesmo com olhos escuros, pode ter os cabelos mais castanhos. Ruivo já não sei…

  • Deise Luz

    Fui completamente contaminada pelos atores. Depois de vê-los nos filmes e séries fica difícil dissociá-los dos personagens. E isso vale tanto para a forma como passo a ver o personagem do livro (que passa a ser permanentemente identificado pela imagem do ator) quanto para a forma como passo a ver o ator. Por exemplo, passei a gostar da Keira Knightley por causa da sua atuação como Elizabeth Bennet. Também não imagino outro rosto que não o de Donald Sutherland pro Sr. Bennet.

    Acho que a única vez, até hoje, em que isso não aconteceu foi com o Willoughby da versão pra TV de Razão e Sensibilidade. Definitivamente não existe identificação entre o ator que escalaram pro papel e a ideia que fiz do personagem quando li o livro.

    • Raquel Sallaberry

      Deise,

      mesmo sendo a primeira Elizabeth que vi, Keira, com o passar do tempo não tem mais ligação com o personagem. E sim, o Willoughby da série de 2008 foi completamente mas escolhido. Lembro dos comentários na época, todas Janeites, mundo afora pasmas com a escolha!

  • Flavia Lucena

    com orgulho e preconceito eu sou bem “contaminada” com o visual do filme de 2007, que foi aonde eu descobri a jane austen. acho que todos os personagens e até um pouquinho das locações, é tudo do filme. 😛
    razão e sensibilidade eu li antes de ver o filme com a emma watson, e o engraçado foi que eu imaginei minha elinor era a cara da kate winslet :PP parece até proposital a ‘troca’ hahahah
    os outros eu não vi adaptação nenhuma, então minha imaginação é bem ‘limpinha’. 🙂

    • Raquel Sallaberry

      Flávia,

      então leia os outros livros e assim será divertido quando assistir os filmes e perceber que alguns atores caem como uma luva e outros nem dá para acreditar que os escalaram para o papel!

  • Patrícia Portella

    Olá, Raquel. Sem dúvida nossa mente transforma certos personagens como idealizações, tanto que o próprio Colin Firth teve receio em aceitar o papel de Mr. Darcy pela boa atuação de Laurence Olivier, com medo que sua imagem já estivesse no gosto popular. Ainda bem que ele se enganou e aceitou o papel, assim como Matthew Macfadyen(só como exemplo),mas acredito que quando um ator faz bem um determinado papel e isso vem a calhar com o que imaginamos daquela personagem, não tem jeito, o ator fica eternamente vinculado, da mesma forma quando achamos que tal ator ou atriz não foi bem escolhido(a)ou não estava dentro das nossas expectativas, parece que o romance ficou totalmente sem graça, tipo, sem efeito. Abçs.

  • Júnior

    Raquel, como já comentei várias vezes aqui gosto muito de “A Abadia de Northanger” e isso me fez criar expectativas altíssimas em relação à adaptação. Mas não sei o que aconteceu que ao assistir o filme não me empolgou em nada, o que me decepcionou profundamente. A única interpretação da qual gostei foi a da excelente Carey Mulligan como Isabella Thorpe, mas não o suficiente para me “contaminar”.

    Tenho uma vontade imensa de assistir aquela versão de 1986 que você costuma chamar de “maluquinha”.

    • Raquel Sallaberry

      Júnior,

      Carey Mulligan está ótima. Procure no You Tube, acho que consegues a versão de 1986. Mas é preciso estar com o espírito preparado! Bom domingo, querido

  • Eduardo Duarte

    Eu acho a Keira Knightley linda! Talvez ela seja aatriz que eu acho mais linda. A verdade é que eu gosto muito dela, desde os piratas do caribe, (hahahaha). Mas apesar disso não consigo imaginar ela como lizzy quando eu leio orgulho e preconceito. Em geral, quando eu leio algum livro, ou no caso dos das Jane Austen, os personagens aparecem na minha cabeça muito distante de alguma fisionomia que eu tenha visto por ai. As vezes eles até alternam de um capitulo para o outro. E as vezes, o que vai parecer uma viagem total, eu nem consigo vislumbrar a face deles, mas só uma essencia, ou sei lá. hahahahahaha.

    • Raquel Sallaberry

      Eduardo,

      muito interessante o fato de você gostar da atriz e mesmo assim não imaginá-la a personagem.

      Eu, por exemplo, não imaginava Charles Musgrove e quando assisti Persuasão 1995 ,Simon Beale, me pareceu perfeito!

  • Marina

    Contaminação 100% só de “Orgulho e Preconceito” porque vi o filme antes de ler o livro, mas dos demais, não muito (em “Razão e Sentimento”, eu só tinha em mente a cara das duas irmãs da versão de 95 e de Hugh Grant,mas como fazia muito tempo que tinha visto essa versão, achei que ele era o Wiloughby), ou nada, como foi o caso de “A Badia de Northanger”, o que foi legal pois sem ter uma noção prévia, fui brincando de combinar minha imaginação de leitora com o filme, e só Catherine bateu direitinho com o jeito que eu a imaginei.

  • Marina

    Ai! Vou postar de novo, pois fiz a besteira de dar minha opinião e ler o tópico todo depois, desculpem (Raquel, se nas configurações do tópico, vc conseguir juntar os dois, ficarei agradecida.)

    Sandra Cabral, eu tb faço isso!! kkkkkk!! Meu Darcy preferido é o Matthew, mas gosto muito do Colin tb e quando releio algum trecho de O&P, eu misturo a imagem dos dois de acordo com o que foi mostrado no filme ou na série! Por exemplo,na declaração do Darcy, eu “vejo” o Matthew, mas quando a Lizzy lê a carta da Jane sobre a fuga da Lídia biruta, eu vejo o Colin querendo socorrê-la, rs!

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      mas que mistura danada você faz!

      Mas é isso mesmo que acontece a medida que vamos relendo os livros e revendo os filmes!

  • Marina

    Há outro ponto que me recordei agora. As produções dos filmes e séries sobre os livros com certeza pesquisaram muitas imagens tanto das próprias obras quanto do séc. XIIIV, então eu acredito que muito da fisionomia dos atores vem destas ilustrações, algumas delas coloridas por sinal. Se a nossa imaginação é contaminada pelos filmes, a imaginação das produções destes filmes ficou contaminada pelas ilustrações da época. As de O&P são um bom exemplo, as imagens coloridas que vi de Darcy e Bingley mostram o quanto se tentou aproximar o físico nos filmes, Darcy sempre moreno e mais alto, com um ar aristocrático, e Bingley um pouco mais baixo, com os cabelos claros (que podiam ser ou loiros ou ruivos)e ar angelical. Acho que o Darcy mais próximo em aparência que vi nos filmes foi Laurence Olivier (O&P-1940), até aquele nariz meio encurvado e empinado de Mr. Darcy ele tinha rs! A mesma coisa com Lizzy, vi uma ilustração dela aqui mesmo até, em que o desenho mostrava uma moça aparentemente morena, com um coque simples na cabeça, de franja e trajando um vestido comum,e não deixei de pensar que o visual de Keira Knightley em 2005 foi baseado neste desenho.

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      sim,sim! Há bastante pesquisa para filmes e os atores na maioria das vezes preenchem quase todos os requisitos, mesmo que não combinem com nossa imaginação.

      Agora lembrei de um ator e uma ilustração… vou ver se acho e coloco aqui no blog!

  • Magda

    Quando assisto à um filme antes de ler o livro, certamente me deixo influenciar pelas imagens. Um exemplo disso é que me tornei muito fã de Keira Knightley, M. Macfadyen, Colin Firth e Jennifer Ehle após ver os filmes nas versões de 2005 e 1995. Ao ler o livro (orgulho e preconceito), dependendo do dia, consigo vislumbrar um ou outro casal mas não consigo mais pensar em um outro par que não sejam eles; não teria a mesma graça!

    • Raquel Sallaberry

      Magda,

      quando assistimos o filme primeiro é inevitável que os artistas nos lembrem os personagens.