web analytics

Eu pretendia fazer uma enquete sobre o livro que mistura Orgulho e preconceito e Cinquentas tons de cinza mas desisti por não achar o tom do texto, se me permitem a boutade

Mas depois, olhando atentamente a capa original de Fifty Shades of Mr. Darcy e a da tradução brasileira que será lançada pela Bertrand Brasil, com o título Cinquenta tons do sr. Darcy, descobri algo muito engraçado. E mais não digo.

Com vocês as capas!

ATUALIZAÇÃO: leiam os comentários para saber os detalhes!

ATUALIZAÇÃO 2: A editora disponibilizou o primeiro capítulo neste link: “Cinquenta tons do sr. Darcy”.

MINHA OPINIÃO: “Ser engraçado” é um dos meus motivos que me levam a ler um texto. Li o primeiro capítulo e não achei engraçado. Também não achei erótico, apenas vulgar. Erotismo, também na minha opinião, é sutileza e requinte.

Views: 338

Artigos recomendados

49 comentários

      1. Eu não entendi na verdade qual a relação entre “Willian Codpiece Thwackery” – que é absurdamente explícito, rs – e Emma Thomas. A graça realmente me escapou.

  1. Eu não li o 50 tons, e recebi algumas opiniões não muito lisonjeiras sobre esse livro. O segredo das capas tem relação com o livro? Não consigo perceber nada que me pareça engraçado, eheh. Mais, o que você acha desse lançamento? Será que vale a pena para alguém, como eu, que não lerá o cinza original? Pois, é claro como água de fonte, Mr. Darcy é o Meu Herói, disparado em primeiríssimo lugar. Ridicularizá-lo, além do aceitável, está fora das minhas cogitações 🙂 Por isso a pergunta a você, que partilha de sentimentos similares em relação ao Mr. Darcy…..

    1. Haydée,

      eu não li os cinquenta tons de qualquer coisa e tampouco esse que ainda será lançado no Brasil. Se de fato for engraçado talvez valha.
      Aguardemos.

      Olhe e leia as capas mais uma vez para ver se você descobre…

  2. Raquel, tem de ser mesmo paródia porque não estou a ver a relação entre o Darcy e os 50 Tons de Cinza… Ainda se fosse Henry Crawford… 😉

    1. Cátia,

      muito bem lembrado. Mas aí creio que não chamaria atenção das leitoras pois Darcy é quase o um príncipe encantado universal!

  3. O nome dos autores tá trocado? Algo ligado ao nome “Emma” que aparece na capa beasileira? Náo sei, hehehehe

  4. “Lizzy Steele foi educada para ser uma dama com modos perfeitos. Mas quando o Sr. Elliot Bingley começa a fazer corte para sua irmã, lhe é dada a oportunidade de aprender um conjunto de habilidades diferentes com seu amigo, o Sr. Fitzwilliam Darcy. Leva apenas um encontro casual com o estranho alto e moreno para Lizzy ser atraída ao mundo secredo de Darcy. E mesmo a mais inocente e bem educada senhorita possui desejos, e logo Lizzy descobre que um chicote de equitação não é apenas usada para galopar em seu cavalo, e um novo mundo é revelado a ela, em tons de preto e couro.” Peguei essa sinopse num site. Me parece uma heresia, acho que Jane vai amaldiçoar a todos!!!!!

  5. Ah! Vejo que a srta. Woodhouse não perde uma oportunidade de zombar dos outros… Nem o sr. Darcy escapou!

  6. Pela Madrugada! Já estou vendo o mármore arder, isso deveria ser proibido ( juntamente com os zumbis, e demais seres pervertidos de chicotes, máscaras e couro). Olhei a capa atéeee e não sei, sera que as botas são da Lizzy e é ela quem vai bater no Darcy…ai credo, não sei Raquel.

  7. O que eu achei engraçado é o nome que aparece no primeiro livro, “codpiece”, que é uma coisa esquisita que os homens do século XV usavam lá, tipo cuequinha de couro ou metal, acho. Mas na web li sobre um escritor inglês chamado William Makepiece Thackeray, autor de Feira das vaidades e Barry Lyndon. Não entendi nadinha.

  8. William Codpiece Thwackery = William Makepeace Thackeray, autor de “Feira das Vaidades” (Vanity Fair)
    Emma Thomas = hematomas
    Que coisa bem ridícula, haha!

  9. … só ouvi criticas sobre “Cinquentas tons de cinza”, e de qualquer forma não é muito meu estilo, mas se for engraçado, me conte. rs

  10. Conforme o prometido conto o que descobri e já adianto que não é sobre o conteúdo do livro pois não o li.

    O que já achei engraçado foi o fato da editora permitir brincadeiras com o nome do suposto autor do livro em suas traduções.
    No caso da tradução brasileira, ficou Emma Thomas, e como Victoria e Alana comentaram, uma cacofonia de hematomas, que eu no primeiro momento, também me remeteu para o nome da atriz Emma Thompson. A pergunta que fica, como farão traduções de outra línguas…

    A autora do livro, Tessa Clayton, usa o codinome William Codpiece Thwackery, que é uma brincadeira com nome do escritor de Vanity Fair (e inúmeros outros livros), William Makepeace Thackeray.

    A palavra “codpiece” refere-se a uma espécie de braguilha medieval, conforme descrição da wikipedia em inglês ou em português.

    Já o último nome modificado, Thwackery, é um trocadilho com nome de um personagem (um professor sádico) da revista britânica Cor!!.
    Resenha (em inglês) no Austenprose.

      1. Olha Raquel, eu não duvido de mais nada! É o Darcy chegando em Marte e a Lizzie sendo uma marciana! kkk

  11. Raquel, no tumblr The Other Auten há alguns trechos do livro. Apesar de ter achado a ideia ridícula no começo (achei que fossem simplesmente no embalo de 50 tons e fazer um romance erótico no pior sentido da palavra), devo admitir que minha opinião sofreu uma ligeira melhora.

    Todos os trechos que pude ler são de pura tiração de sarro com o 50 tons original. Acho que não vale a compra do livro físico, mas em compensasão, dá para baixar na internet e ler quando estiver com vontade de dar umas boas gargalhadas.

    O endereço do tumblr. caso você não o conheça, é este: http://theotherausten.tumblr.com/

  12. Eu não tenho nada contra essas brincadeiras, não acho que denigrem nem prejudicam a obra de Jane Austen de forma nenhuma. Podem vir Mr. Darcy no espaço, Lizzy Bennet e os caçadores do tesouro, estou pouco me incomodando. A obra original continua lá, intocada, e essas adaptações só demonstram como Jane Austen está presente na cultura pop. Por que tanto medo e tanta aversão a elas?

    1. Elaine,

      se for engraçado e se levar a ler o original, tudo bem! E bem sabemos que boa parte desses livros desaparecerão no tempo. Mas também creio que muitos ficam indignados por Jane ter ganhado tão pouco e hoje muita mediocridade faz rios de dinheiro. Só palpite, claro.

  13. Acabei de ler os três livros de blá blá blá tons… Fiquei frustrada, pois tinha esperança de coisa melhor… qnd descobri este livro blá blá blá sr Darcy, e ainda não acredito que tenham destorcido o classico de Jane Austen, “meu livro preferido:(” ….Enfim, as vezes falta de criatividade faz isso. Mas vou pagar para ver ou melhor ler…e que eu esteja errada!!!

    1. Fernanda,

      por tudo que tenho lido, parece que o livro está mais para comédia do que qualquer outro gênero.

  14. Eu li Orgulho e Preconceito, 50 Tons de Cinza e 50 Tons do Sr Darcy. O engraçado é que desde q li o 50 Tons, vi muitas semelhanças entre o Darcy e o Grey, no sentido de que ambos são objetos de desejo, personagens masculinos que marcaram no imaginário feminino. Ambos são cavalheiros, sofisticados, educados, cultos… E a mulherada morre com isso, haha! Qdo vi a notícia do 50 Tons do Sr Darcy eu cai pra trás, esperei pelo lançamento e comprei em seguida. É comédia, mto engraçado e fica melhor pra quem leu os livros do Grey. Eu gostei. É só comédia, não é pra levar a sério e ofender fãs da Jane Austen ou da E L James. Sr Darcy falando um “vamos mandar ver” pra Elizabeth não tem preço! 😉

  15. Sinceramente, achei de um mal gosto tremendo.
    Não consigo ver nada de engraçado somente de mal gosto, de uma falta de cultura tremenda.
    Com certeza esse ai não emplacará nos anais da literatura.

  16. Vou prestar aqui o um depoimento que talvez faça algumas “Lizzys” mudarem a sua “First Impressions” quanto ao mercado literário de hoje.
    Tinha pouco hábito de ler, lia somente livros muito falados e fáceis (os criticados Best Sellers). O fato é que a série 50 tons me fez procurar por mais livros, incluindo os clássicos. Assim que terminei de ler Orgulho e Preconceito fiquei meio obcecada (quero outras traduções, inglês, ler sobre a autora e etc). Acho que vi um filme antes, mas ele não teve poder nem de ficar na memória.
    Pouco depois de terminar o livro me deparei com essa paródia numa livraria e só o título já me divertiu. Li o 1o capítulo na internet e me acabei de rir. É pra quem tem senso de humor (e que tenha lido os dois livros, é claro).
    Acho que as fãs (eu sou mais uma) devem ficar despreocupadas, nada é capaz de destruir uma grande obra. Pelo contrário! Veja que já se passaram 200 anos e ela ainda tá rendendo. Com todos esses milhoes de pessoas os lendo 50 tons, e talvez uns milhares a paródia, quantos não vão se interessar por Jane Austen, Thomas Hardy, Emily Bronte e outros que estão lá citados ou desejar conhecer o verdadeiro Mr Darcy? Tudo isso é só uma grande propaganda da obra favorita de muitas leitoras desse blog.

    1. Alice,

      apesar de não ter gostado por não achar graça concordo com você que nada vai destruir um clássico.

  17. Ai li o primeiro capitulo e odiei! Eu odeio esses tipos de coisas! Nossa nem sabe escrever esse tipo de gênero ainda. Não achei graça nenhuma, achei que foi uma pessoas que misturou duas obras nada a ver para ganhar dinheiro em cima. Quando ouvi falar desses Cinquenta tons do Sr Darcy, eu achei que seria passado na nossa época, que é o mais adequado… Mas a pessoa que escreveu isso é tão estúpida… Ai sinceramente, eu concordo com vc a pessoa não foi engraçada nem usou de erotismo só escreveu uma coisa vulgar. Eu já não iria comprar sem ler o primeiro capitulo agora nem na outra vida tocarei em uma coisa como essas.
    Mas como já falado, nada vai destruir o clássico, pois afinal, ele é sempre o que realmente fica, e essas outras coisas sempre vão embora.

    1. Leticia,

      as opiniões se dividem no tocante ao gosto, mas parecem unânimes quanto a permanência dos clássicos.

      1. é verdade por que é isso que fica realmente, o clássico que deu origem. Lembra aquela febre de zumbis e vampiros que deu? Faz um bom tempo que não vejo ser mais lançada uma obra assim com clássicos. Isso se dá por que algum livro no estilo faz sucesso ( como Crepusculo, que deu a ideia dos vampiros e cinquenta tons para fazer essa coisa ai no post)então eles resolvem fazer essa coisa linda de mistura com os clássicos. Mas depois de algum tempo somem.

  18. Esse livro é uma total falta de respeito tanto para com Jane quanto para sua fabulosa obra, que é composta pela inocência e graça da época.
    Não li esse “50 tons do sr. Darcy” e nem quero ler, prefiro passar longe dessa atrocidade literária

Deixe uma resposta