Cartas de Jane Austen | Deirdre Le Faye

Cartas de Jane Austen | Deirdre Le Faye
por Mell Siciliano

“Where shall I begin? Which of all my important nothings shall I tell you first?”¹

Quantas vezes lemos um livro e nos perguntamos: o que será que o autor estava pensando neste momento? Ou ainda: será que essa personagem é inspirada em alguém?

Quando o autor do livro em questão está vivo se torna mais fácil responde-las, e não é raro encontrar entrevistas em que ele responde justamente aquilo que queríamos tanto saber. Mas o que fazer quando o autor está morto? Não podemos perguntar diretamente a ele o que queremos saber.

Pior, e quando o autor nunca deu nenhuma entrevista sequer sobre seus livros, e nem sobre si mesmo? Pois esse é o caso de Jane Austen. O que fazemos então?

Pesquisadores ao longo da história chegaram à uma simples solução: ler as suas cartas. E então, esses pesquisadores, aqui e ali, foram juntando cartas por vezes dispersas, e montando um grande quebra-cabeças de informações, que hoje chegam a nós assim, mastigadinhas.

Nós responderemos a todas as nossas perguntas? Não. E talvez nunca. Algumas coisas ficarão para sempre no campo da suposição. Ainda mais no caso da nossa querida Jane Austen, visto que sua irmã queimou parte de suas cartas. Mas se algumas coisas nós poderemos ter certeza; outras nós poderemos completar como bem quisermos em nossa imaginação, transformando Jane Austen também em uma personagem encantadora, como todas aquelas que ela escreveu.

Entretanto, precisamos separar o que é verdade do que é imaginação, suposição. O trabalho feito por Deirdre Le Faye em Jane Austen’s Letters foi belíssimo. Ao longo do livro temos inúmeras notas que nos ajudam a contextualizar cada carta; ela explica as referências que Jane faz à pessoas e lugares, a livros e peças e à outras inúmeras coisas que sem as notas explicativas seriam impossíveis de compreendermos. Isso sem contar as notas que explicam a origem das cartas, bem como o estado em que foram encontradas.

Ler o livro Jane Austen’s Letters foi uma aventura incrível no tempo e na vida de uma autora que está ainda hoje muito presente. Através dessa leitura pude conhecer a Jane autora que tanto admiro, inteligente, profissional e cuidadosa com aquilo que faz. Mas também entrei em contato
com a Jane irmã, a Jane tia que era toda carinho mas também exigente, a Jane mulher com seus affairs e decepções, a Jane “mulherzinha” que gastava longas cartas falando de luvas e tecidos, entra tantas outras. Como todos nós ela tinha muitas facetas. E ler as suas cartas nos mostra o quanto é impossível separar uma faceta da outra.

“Nobody ever feels or acts, suffers or enjoys, as one expects!”²

Por fim, só tenho a acrescentar que espero encarecidamente que alguma editora brasileira traduza essas cartas com a mesma qualidade e esmero que constam em sua publicação original. Os fãs da autora aqui no Brasil merecem esse presente.


Notas
¹ Por onde começo? Qual dos meus importantes nadas devo contar primeiro?
² Ninguém sente ou age, sofre ou aprecia da maneira que esperamos

Cartas de Jane Austen | Deirdre Le Faye

Cartas de Jane Austen | Deirdre Le Faye

7 comentários sobre “Cartas de Jane Austen | Deirdre Le Faye

  1. Ester de Mesquita disse:

    Mal posso esperar pra adquirir essa preciosidade!! Faço meu o seu desejo de que alguma editora aqui traga com a mesma excelência de sua publicação original!

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Ester,
      também espero que uma boa editora resolva traduzir as cartas de Jane Austen com as anotações de Deirde Le Faye.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Aline,
      é também minha esperança. Até então tenho lidos apenas trechos para escrever posts e pesquisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *