web analytics

Hoje, lendo o New York Times, lembrei da carta de Jane Austen para sobrinha Cassandra, filha de Charles Austen. O jornal fala sobre a Coleção Jane Austen da Morgan Library que está em exibição e inicia o artigo perguntando: “Quem não gostaria de ter como parente próximo uma tia Jane” e menciona a carta para a sobrinha ressaltando que Jane  já estava bem doente no início de 1817 e mesmo assim continuava escrevendo e sabendo como agradar seus leitores. Neste caso, a sobrinha de oito anos para quem escreveu uma cartinha toda de trás para frente.

letter_cassy

Realcei apenas a carta que traduzo abaixo.

MINHA QUERIDA CASSY,

Eu desejo a você um feliz ano novo. Seus seis primos vieram aqui ontem e cada um ganhou um pedaço de bolo. É o aniversário da pequena Cassy e ela tem três anos. Frank iniciou a apreender Latin nós alimentamos o Robin toda manhã. Sally pergunta sempre de você. Sally Benham tem um novo vestido verde. Harriet Knight vem todo dia ler para Tia Cassandra. Adeus minha querida Cassy.

Tia Cassandra envia todo seu amor e todos nós também.

Sua afeiçoada Tia, JANE AUSTEN

Chawton: jan, 8.

  • Artigo completo de Edward Rothstein no New York Times em 6·nov·2009: “At the Morgan, the Jane Austen Her Family Knew
  • Carta da edição de Letters of Jane Austen por Edward, Lord Brabourne (filho de Fanny Knight), vol. II (1884)

Visits: 467

Artigos recomendados

14 comentários

  1. Raquel querida,
    Que bonito saber que você ainda bloga. Deixei de fazer o mesmo para me aventurar em outros projetos.
    Só agora volto. Gostei da carta para Cassy.
    Eu também queria ter uma tia como Jane Austen.

    Beijos mil!

    1. Nina,

      feliz retorno! Seria muito bom ter Jane como tia, mas confesso que tive e ainda tenho, tias fantásticas!
      beijocas

  2. Nossa, me deliciei lendo este post, preciso admitir que é um dos meus favoritos até agora! Mostrou uma Jane mais real sabe? imagino ela se divertindo horrores escrevendo esta carta, e também imagino a emoção da Cassey quando recebeu.

    Beijos Raquel!

    1. Chica,
      também gostei desse momento de intimidade da pequena cartinha.

  3. Antes de ler o texto que você escreveu, Raquel, dei uma olhada na carta que você realçou e fiquei muito intrigado: Mas que língua é essa em que Jane escreveu esta carta? Inglês que não é…!

    Só depois lendo o início do post que descobri que Jane redigiu a carta de trás para frente e aí sim compreendi.

    Seria um modo de divertir a sobrinha? Se for, é muito bacana?

    1. Júnior,

      a primeira vez que vi a carta também achei que era um a língua inventada, e não me dei conta que era inglês escrito de trás pra frente!

  4. Desculpe. Minha última frase era uma afirmação: “Se for, é muito bacana!!”

  5. Os requintes de formalidade da época mesmo para uma carta simples são tão bonitos, só não entendi uma coisa: porque a carta foi escrita ao contrário? Cassy lia desse jeito por algum problema de leitura? :/

    1. Dak,
      Cassy era pequena mas certamente já sabia ler, a graça está na dificuldade que ela teria para entender. Era apenas uma brincadeira para desafiar a inteligencia da menina.

  6. Acho que a Jane deveria ter bastante tempo ocioso pra preencher lol patchword e agora cartinha de trás pra frente, é bonitinho, mas eu confesso que não teria muita paciência pra escrever nem pra ler tal correspondência. Raquel achei muito interessante o post sobre a sobrinha dela Cassy, contudo o que você acha da Fanny Knight?

    1. Nique,
      eu acredito que Fanny Knight sonhou muito com os romances da tia e por final casou-se de modo convencional. É o que li até agora sobre esta sobrinha de Jane. Como me falta ler muitas cartas ainda, não tenho exatamente uma opinião sobre Fanny, que mais tarde tornou-se Lady Knatchbull ao casar com Sir Edward Knatchbull.

  7. Muito legal a carta escrita assim. Ainda bem q souberam q a carta era escrita de trás pra frente, se não ninguem entenderia nada. Parabens pela postagem !!!

Comentários estão encerrado.