web analytics
A Abadia de Northanger,  LIVROS JANE AUSTEN

O castelo de Nachtstürm

Em 31 de outubro, no Hemisfério Norte, é celebrado o fim do outono e O início do inverno com seus dias mais curtos e mais sombrios e atualmente, nesta data, comemora-se também a festa de Halloween, ou dia das Bruxas, que tem suas origens nas festas celtas do Samhain. Deste tema para os livros góticos é um pulinho só. Para comemorar a data publico uma pequena resenha que fiz sobre o livro Nachtstürm Castle de Emily C. A. Snyder.

nachtsturmcastle

Nachtstürm Castle, Emily C. A. Snyder

EDIÇÃO: GirleBooks, 2009
RESENHA: Raquel Sallaberry Brião
THIS REVIEW IN ENGLISH

Eu nunca havia lido uma sequência ou mesmo um livro inspirado nas obras de Jane Austen e quando Laura do Girlebooks me convidou para fazer uma resenha, fiquei apreensiva. Não que eu seja uma purista, mas tenho lido textos nada animadores sobre esse tipo de literatura.

Entretanto a curiosidade foi maior do que o medo e assim fiz uma viagem com os Tilneys.
A história começa um ano depois do casamento de Catherine e Henry Tilney, o simpático casal d’A abadia de Northanger. O reverendo resolve presentear sua esposa com uma lua de mel apropriada e nada melhor do que uma viagem pelos lugares dos romances que ela tanto amava como, por exemplo, Os Mistério de Udolpho de Ann Radcliffe. As aventuras começam em Paris onde visitam a fabulosa catedral de Notre Dame e encontram uma cigana, e seu filho espertinho, que misteriosamente chama Catherine de “Fortuna”. Mais tarde, na Ópera, eles conhecem um alegre casal inglês que havia herdado há pouco um castelo nos Alpes, “coisica de nada” segundo eles, e oferecem para a lua-de-mel dos nossos heróis. A partir daí os acontecimentos passam a ser no melhor estilo gótico: viagem conturbada, clima de chuva e trovoadas, criados estranhos, amores impossíveis, loucura e morte em um castelo cheio de corredores, com passagens secretas, salas sem saídas e ladeado por um abismo. O castelo muito apropriadamente chamava-se Nachtstürm. Nossa querida heroína passou incólume por quase todas as dificuldades pois tinhas lá suas certezas e desconfianças da participação do marido em tais eventos. Nosso herói esforçou-se para manter o bom humor, mesmo em situações desesperadoras, como não poderia deixar de ser.

O bom humor de Henry Tilney e uma linguagem mais arcaica – até onde consigo entender como falante de língua estrangeira – foi mantido pela autora e foi o que mais me cativou no livro. Li com prazer e posso dizer que foi muito divertido!

Este livro está à venda no GirleBook Store. Vocês podem comprar, este ou qualquer outro da loja, com um desconto de 20% usando o código abaixo (que é case-sensitive). Este desconto é válido a partir de hoje, 31 de outubro, até 31 de dezembro de 2009.

Fall2009

Facebook Comments Box

3 Comentários

  • Júnior

    Este livro parece ser mesmo muito bom, Raquel.

    Particularmente, gosto muito de obras góticas e quando este ganhar uma edição em português com certeza entrará para a minha lista de futuras leituras!

    “… viagem conturbada, clima de chuva e trovoadas, criados estranhos, amores impossíveis, loucura e morte em um castelo cheio de corredores, com passagens secretas, salas sem saídas e ladeado por um abismo.” Fiquei muito curioso com esta parte da sua resenha, que aliás, está ótima. Parabéns!