web analytics

A escravidão no livro Mansfield Park é mencionada de forma discreta e sem discussões como já mencionei em posts sobre o assunto, mas volta e meia me deparo com sinopses, escritas supõem-se por quem pelo menos tenha lido o romance, afirmando que um dos temas do livro o “tráfico negreiro”.

Seria engraçado tal disparate não fosse o fato de disseminar uma inverdade.

Valéria Fernandes, autora do blog Shoujo Café, escreveu sobre minissérie Mansfield Park de 1983, onde ela coloca , de forma muito clara, essa questão da escravidão, não só como é mencionada na minissérie mas também no livro:

Eu procurei, fiz a busca na copia digital e não há nada que coloque Mansfield Park como um romance abolicionista ou a personagem Fanny como alguém contra a escravidão.

O texto integral desta ótima resenha está em: “Comentando Mansfield Park (BBC, 1983)“.

Views: 121

Artigos recomendados

2 comentários

  1. Raquel, há algum tempo li um artigo interessante sobre o assunto, mencionando não apenas Mansfield Park, mas também Emma e Persuasion. O autor sustenta que esses romances, escritos após a abolição, continham menções pró-abolucionistas que, embora discretas, podem ser indícios de que ela era realmente contra a escravidão. O autor sustenta também que Jane tinha um irmão abolucionista e que ela tinha muito orgulho do papel que seus irmãos desempenhavam na marinha, inclusive, impedindo o tráfico escravagista (um dos papéis da marinha britânica na época).
    Veja aqui: http://www.newenglishreview.org/custpage.cfm/frm/8722/sec_id/8722

    Mas, no geral, eu concordo com você que se trata de deduções impossíveis de serem comprovadas e exclusivamente por Mansfield Park não há como fazer tal afirmativa. Creio que aquele filme da Patricia Rozema que, a meu ver, tomou muitas liberdades com a história, contribuiu para confundir as cabeças. O filme é claramente abolucionista, o livro, não.

    1. Marcia,

      sim, sim! Jane Austen mencionou a escravidão em Mansfield Park, discretamente como muito bem colocou Valéria Fernandes e mais enfaticamente em Emma como pode ler neste meu post: “Jane Austen e a escravidão em Emma“. Mas nunca como um dos temas do livro. Em Persuasão, mesmo tendo lido no NER, eu não consegui estabelecer um vínculo claro com o assunto.

      O que é lamentável é a tentativa, principalmente em Mansfield Park, de destacar a escravidão como um dos assuntos principais de livro, com sinopses afirmando que um dos temas do livro é o “tráfico negreiro”! Pode um coisa dessas?

      Jane Austen certamente era contra a escravidão e sabemos disso por ela própria. Veja este meu post: “Jane Austen e Thomas Clarkson“. Escrevi para esclarecer uma leitora que havia lido a propaganda de uma editora que dizia que Jane Austen tinha sido apaixonada por Clarkson. Pois é…

Comentários estão encerrado.