web analytics
MISCELÂNEA

Palestra sobre traduções de Jane Austen no Goucher College

Jane Austen’s novels are cherished by readers worldwide, but do the iconic author’s works get lost in translation?

Os romances de Jane Austen são apreciados por leitores em todo o mundo, mas o trabalho de um(a) autor(a) icônico (a) se perde na tradução?

Esta pergunta será o tema da palestra “Translating Austen; or When Jane Goes Abroad” de Gillian Dow, acadêmica-residente no Goucher College, que será proferida em 7 de fevereiro deste ano.

Já escrevi alguns posts onde menciono traduções francesas que são consideradas controversas em alguns aspectos:

Outro exemplo é o artigo “Why Austen cannot be a “classique” in French: New Directions in the French Reception of Austen” de  Valérie Cossy, publicado na revista Persuasion Online, n. 30, da JASNA.

Sobre a coleção Jane Austen de Henry e Alberta Burke do acervo do Goucher College vejam o post “Coleção Goucher College”.

Espero que essa palestra seja posteriormente publicada pois pretendo escrever com mais vagar sobre o assunto aqui no blog. No Brasil muito há para ser dito sobre traduções mas infelizmente ainda estamos no estágio de esclarecer edições espúrias.

Facebook Comments Box

6 Comentários

  • Nathalia Lemos

    Sem sombra de dúvidas que o original é melhor que as traduções. Todas traduções perdem um pouco da essências, pois as línguas tem variantes distintas.Sempre procuro ler o original. Já li várias traduções de Shakespeare, mas a melhor, que menos perde o sentido é a do Millôr Fernandes, ainda mais pelas suas explicações em pé de página. Ler o original é a melhor coisa.Para uma boa tradução, você não deve conhecer somente a língua, mas também o ambiente e o contexto em que a obra foi escrita.

    • Raquel Sallaberry

      Nathália,

      sem sombra de dúvida seria melhor no original. Ocorre que muitos sabem apenas sua língua natal e ficariam privados de ler as grandes obras que foram escritas nas mais variada línguas. Eu por exemplo só leria em inglês. Nem consigo me imaginar lendo Crime e castigo em russo, ou pior ainda, não lendo Crime e castigo!

      PS: Está na minha lista (infindável) ler as traduções de Shakspeare por Millôr.

  • Na

    Vim mais pra comentar da capa. É uma edição na foto, não é? Eu gostei. Acho que sou quadrada de mais. rs
    Nem te contei, ganhei uma bolsa do Mr. Darcy!
    Vou ler o artigo.

  • lucienne

    Com certeza não se nega que sempre o original é o melhor,porém tb é certo que uma obra não ser lida por não ter uma tradução (uma BOA),na minha opinião, é muito ruim!! Sou muito favorável atraduções!!

    • Raquel Sallaberry

      Luciene,

      não tenha dúvidas. Já pensou termos que apreender grego para ler os clássicos!