web analytics
LIVROS JANE AUSTEN,  MISCELÂNEA,  Razão e sentimento Razão e sensibilidade

A idade de Marianne Dashwood

A idade de Marianne Dashwood despertou minha curiosidade ao ler as traduções* deSense and Sensibility para o desafio do bicentenário da publicação do livro.

|3Remember, my love, that you are not seventeen.
|PT| — Lembra-te, minha querida, de que ainda não tens dezassete anos.
|BR| — Lembre-se, minha querida, de que você ainda não tem dezesseis anos.

No capítulo três, ainda em Norland Park, a senhora Dashwood diz para Marianne que ela é ainda muito nova para achar que jamais vai encontrar o companheiro ideal. Na tradução brasileira bastaria retirar o “não” e a frase ficaria perfeitamente correta: “Lembre-se, minha querida, de que você tem dezesseis anos.”

As Dashwoods ficaram por seis meses em Norland após a morte do pai. Minha dúvida: terá Marianne completado 17 anos antes de deixar Norland Park?

~~·~~

|8“Perhaps,” said Elinor, “thirty-five and seventeen had better not have any thing to do with matrimony together.
|PT| — Diz antes — disse Elinor — que trinta e cinco anos e dezassete anos é preferível nada terem em comum com um casamento
|BR| — Talvez — disse Elinor — trinta e cinco e dezesseis nada tenham a ver  em comum com o casamento.

Pela afirmação de Elinor, no oitavo capítulo, parece que Marianne já completara 17 anos e as insinuações de casamento feitas pela sra. Jennings a incomodavan por demais. E assim sendo a tradução brasileira não teria motivos por manter 16 anos.

~~·~~

|10Marianne began now to perceive that the desperation which had seized her at sixteen and a half, of ever seeing a man who could satisfy her ideas of perfection, had been rash and unjustifiable.
|PT| Marianne começava a perceber que o desespero, que a atingira aos dezasseis anos e meio, por pensar que nunca veria o homem que satisfizesse as suas noções de perfeição, fora apressado e injustificado.
|BR| Marianne começou a perceber que o desespero que dela se havia apossado, entre os dezesseis e os dezessete anos, quanto à possibilidade de encontrar na vida um homem capaz de corresponder ao seu ideal de perfeição era algo apressado e injustificável.

No capítulo nove, Marianne conhece Willoghby e no capítulo seguinte recorda seu tempo em Norland, quando tinha ainda 16 anos. Neste ponto fica claro que Marianne já estava com 17 anos quando encontrou Willoughby.

~~·~~

|49A three weeks’ residence at Delaford, where, in his evening hours at least, he had little to do but to calculate the disproportion between thirty-six and seventeen, brought him to Barton in a temper of mind which needed all the improvement in Marianne’s looks, all the kindness of her welcome, and all the encouragement of her mother’s language, to make it cheerful.
|PT| Uma estada de três semanas em Delaford onde, pelo menos durante os serões, pouco mais tinha a fazer do que calcular a despreocupação[¹] entre trinta e seis e dezassete, trouxe-o para Barton com uma disposição com uma disposição que bem necessitava de todo o benefício do olhar de Marianne, de toda a amabilidade das suas boas-vindas e de todo o encorajamento das palavras de sua mãe para o tornar alegre.
[¹] aqui a única palavra que faz sentido é desproporção.
|BR| Após ter permanecido três semanas em Delaford, onde, pelo menos à noite, pouco tinha a fazer senão calcular a desproporção entre os trinta e seis e os dezessete anos, o coronel retornou a Barton num estado de espírito tal que necessitou de todos os incentivos do olhar de Marianne, de toda gentileza de sua recepção, e de todo o estímulo das palavras de sua mãe para torná-lo alegre.

No capítulo 49, o Coronel Brandon começa a frequentar o chalé de Barton e diferença de idade entre ele e Marianne continua a atormentar seus pensamentos. A surpresa fica por conta da comparação: 36 e 17 anos. Se levarmos em conta as datas originais dos parágrafos anteriores, a comparação correta seria entre 35 e 17, ou então entre 36 e 18.

~~·~~

|50| She [Marianne] was born to overcome an affection formed so late in life as at seventeen, and with no sentiment superior to strong esteem and lively friendship, voluntarily to give her hand to another! — and that other, a man who had suffered no less than herself under the event of a former attachment, whom, two years before, she had considered too old to be married, […]
[…] she found herself at nineteen, submitting to new attachments, entering on new duties, placed in a new home, a wife, the mistress of a family, and the patroness of a village.
|PT| Nascera [Marianne] para vencer uma afeição que aparecera tão tarde na sua vida, aos dezassete anos, e para dar a sua mão a outro, pelo qual não sentia nada superior à forte estima e grande amizade!… E esse outro era um homem que não sofrera menos que ela por causa de uma afeição anterior, que dois anos antes ela considerara velho demais para casar […] encontrou-se aos dezanoveanos submetendo-se a novos afectos, iniciando novos deveres, instalada numa nova casa; era uma esposa, a senhora de uma família e a senhora de uma aldeia.
|BR| Nascera [Marianne] para superar uma afeição que aparecera em sua vida já aos dezessete anos, e, sem a ajuda do outro sentimento senão a da forte estima e uma viva amizade, voluntariamente dar a mão a outro!… e este outroera um homem que havia sofrido não menos que ela por causa de uma afeição anterior, e a quem, dois anos antes, ela havia considerado velho demais para casar-se…
[…] encontrou-se, aos dezenove anos, inclinada a novos afetos, encarregada em novos deveres, colocada num novo lar para ser a esposa, a mãe de uma família e a senhora de um padroado.

Que conheceu Willoughby aos dezessete anos e casou-se ao dezenove com o Coronel Brandon, não há dúvidas. Mesmo assim me pergunto: qual a idade do coronel quando se casou, 37 ou 38?

  • * Sen­si­bi­li­dade e Bom Senso, edi­ção Europa-América na tra­du­ção de Maria Luísa Fer­reira da Costa e Razão e sen­ti­mento, edi­ção Nova Fron­teira na tra­du­ção de Ivo Bar­roso.
  • “A Calendar For Sense and Sensibility” Precioso documento de autoria de Ellen Moody, publicado em 2000 no Philological Quarterly, 79.
Facebook Comments Box

3 Comentários

  • Gi Cano de Oliveira

    Muito legal o post, eu sempre fico ligada nas idades dos personagens, faço contas e tal, rs, essas informações são sempre muito relevantes pra mim na leitura de uma obra.

    • Raquel Sallaberry Brião

      Gi,

      eu também gosto de idades e datas. Quero sempre ver lógica em tudo!

  • Alice

    Ta aí um bom exercício de raciocínio lógico. Talvez descobrindo o mês de aniversário.