web analytics

Quando fiquei sabendo que seria leiloado um anel que pertencera à Jane Austen só desejei que quem o comprasse o expusesse para o público.

Depois de anunciada a compradora, a cantora americana Kelly Clarkson, acrescendo suas dificuldades em sair do país com o anel, declarei que gostaria que a peça permanecesse no Reino Unido. Imaginei que a proprietária poderia doar assim como o fez Alberta Burke. Para saber a linda e engraçada história da senhora Burke leia o post “Coleção Jane Austen – Goucher College”.

Aliás, Mags do AustenBlog, que é da mesma opinião que eu, fez este post certeiro: An Appeal to Kelly Clarkson: Do the Right Thing“.

Resumindo minha opinião: é claro que gostaria que o anel ficasse em algum lugar para visitação pública na Inglaterra, como qualquer Janeite, mas reconheço que se não colocaram o embargo antes do leilão não podem impedir Kelly Clarkson levar o anel para onde ela quiser.

Sempre há a possibilidade de doação mas se isto não acontecer o Jane Austen House Museum já recebeu o oferecimento de 100,000£ para comprar o anel de volta. Faltam ainda em torno de 50,000 libras e o museu terá um prazo até dezembro para conseguir.

Já entrei em contato com a Louise West, curadora do museu, perguntando se colocarão um link para o PayPal (ou similar) no site deles para facilitar doações de outros países. Ela prometeu me avisar assim que decidirem o que fazer.

Avisarei vocês no momento que souber pois esse seria um modo maravilhoso de saber que compramos o anel de Jane Austen. Pertenceria um pouquinho a cada um(a) de nós!

Anel Jane Austen

Imagem © The Telegraph

Views: 153

Artigos recomendados

11 comentários

  1. Quem colocou o anel à venda?
    Qual a culpa de quem comprou?
    As coisas deveriam ser melhor explicadas para a compradora.
    É claro que o anel não deve sair do país.

    1. Rosana,

      quem colocou foi a família. Quem comprou não tem culpa alguma e não consigo atinar o porquê de não terem colocado uma clausula de restrição na venda.

  2. E você nos avisará, Raquel, se esse link for disponibilizado, não é mesmo? Que emoção, ser dona – em termos – de um pedacinho do anel da grande Jane Austen!

  3. Oi, Raquel!

    Acho tão triste essa situação…não me conformo como as pessoas tratam objetos de valor afetivo e cultural. Não quero julgar ninguém, mas seria tão lindo se a Kelly doasse o anel a um museu. Seria uma atitude muito mais digna do que a da família – que não é muito clara, convenhamos, pois quem vende não tem o direito de dizer a quem comprou que se deve fazer, salvo mediante cláusulas contratuais, né?. Se tiver esse link para doação do PayPal, eu tô dentro!Antes TODOS terem acesso a um pedacinho da Jane Austen, do que apenas UMA pessoa em seu porta-jóias. Ah, poderíamos criar uma campanha no Facebook pra derreter o coração da Kelly e convencê-la a doar, sei lá …
    Beijos!!!!

    1. Rosana,
      não sei se a família podia colocar restrições num leilão. Talvez seja prerrogativa do Estado esse tipo de restrição por ser considerado patrimônio histórico. Mas que fique claro que isso tudo são suposições de minha parte.

  4. Eu cheguei a ler que ela queria usar o anel como aliança de noivado! Não sei até que ponto isso é verdade, mas parece que o noivo dela mandou fazer uma réplica do anel p/ esse propósito (pelo visto ao menos na escolha do noivo ela acertou).
    E, bem, infelizmente ela comprou legalmente e não é obrigada a nada, mas pensando como celebridade, seria muito bom pra imagem dela doar o “precioso” (ops, autor errado) p/ um museu.
    Li também que os organizadores do leilão foram pegos de surpresa com a participação da moça, já que esses leilões normalmente só têm participação de instituições, não de entes privados. Talvez por isso eles não foram precavidos a ponto de colocar a tal “cláusula impeditiva”, erro grave.

  5. Seria “um final” deveras feliz se o anel permanecesse no Reino Unido graças, em parte, às doações dos admiradores e admiradoras de Jane. Acho improvável Kelly Clarkson doá-lo. Já vendê-lo é outra história…

    1. Júnior,

      nem sabia da existência da cantora até a compra do anel e n]a faço ideia do que ela seria capaz de fazer.

  6. Continuo com a mesma opinião que tinha.Devia ter ficado no museu, devia. Mas não quiseram colocar para leilão. Agr que vendeu não podem impedir a compradora de fazer o que bem entender com ele, afinal ela pagou um quantia e o anel é dela agr! Deviam é comprar o anel dela de volta e colocar no museu…..

Deixe uma resposta