Categoria: Orgulho e preconceito

Pride and Prejudice

Jane Austen, Emily Brontë e Virginia Woolf

Jane Austen, Emily Brontë e Virginia Woolf fazem parte do novo box “Grandes Escritoras da Literatura Inglesa” da editora Nova Fronteira com seus livros Orgulho e preconceito, O morro dos vento uivantes e Orlando, respectivamente. O lançamento está previsto para 7 de julho e já está na pré-venda no site da livraria Saraiva.

A tradução de Orgulho e preconceito é a nossa conhecida de Lúcio Cardoso; O morro dos ventos uivantes é de Laura Alves e me pergunto se será a mesma tradutora desta edição da Francisco Alves. Orlando  foi traduzido por David Jardim Júnior.

SINOPSE

Inovadoras, à frente de seus tempos, elas marcaram a literatura e deixaram um vasto legado. Jane Austen, Emily Brontë e Virginia Woolf, três das maiores escritoras da literatura inglesa, têm suas obras-primas reunidas neste box, numa edição de luxo que é um verdadeiro presente para o leitor.

Os costumes, o amor, a condição da mulher, os valores e o casamento são abordados em Orgulho e preconceito com a perspicácia que Jane Austen sabia, como poucos, imprimir a seus romances. A obra traz personagens memoráveis, que conquistam leitores geração após geração, como a determinada Elizabeth Bennet e o rico e orgulhoso Mr. Darcy.

O morro dos ventos uivantes narra a forte paixão entre Heathcliff e Catherine, que foram criados juntos numa zona rural da Inglaterra. Inseparáveis, os dois têm a relação ameaçada pela crueldade do irmão da moça, mas o golpe fatal vem quando Catherine, em busca de um matrimônio melhor, decide se casar com o nobre Edgar. Inconformado, Heathcliff abandona a propriedade e volta anos depois, rico e com sede de vingança.

Em Orlando, o belo protagonista, membro da aristocracia elisabetana, parece pertencer a todos os lugares e a lugar nenhum. Um dia, ele acorda transformado — transportado para o século XVIII, no corpo de uma mulher. Com o dom de permanecer sempre jovem, a personagem empreende uma viagem pelos séculos, assumindo diversos papéis na sociedade inglesa.

Jane Austen, Emily Brontë e Virginia Woolf
Jane Austen, Emily Brontë e Virginia Woolf | Editora Nova Fronteira | Box Grandes Escritoras da Literatura Inglesa

As capas individuais que estão muito elegantes.

Orgulho e preconceito, Lúcio Cardoso
Orgulho e preconceito, Lúcio Cardoso
O morro dos ventos uivantes, Emily Brontë
O morro dos ventos uivantes, Emily Brontë
Orlando, Virginia Woolf
Orlando, Virginia Woolf

Pride and Prejudice edição culinária

Pride and Prejudice edição culinária será lançado em outubro pela Penguin Young Readers com receitas de guloseimas modernas para acompanhar o chá, um dos hábitos mais conhecidos dos ingleses. O título completo do livro será: Pride and Prejudice: The Classic Novel with Recipes for Modern Teatime Treats.

As receitas de Orgulho e preconceito terão a curadoria de Martha Stewart e o livro será ilustrado em cores, com um “menu temático de receitas” de chefs renomados.

Outras obras literárias farão parte dessa coleção do selo Puffin, como por exemplo, A Christmas Carol de Charles Dickens que sairá junto com Orgulho e preconceito.

Esta capa me fez lembrar o trabalho de Julie Wakefield, do blog Austenonly, que é também dona da Fabulously Floral Cakes..

Não preciso dizer para vocês que fiquei louca de vontade de comer, ops! digo, de comprar esse livro pela capa!

Fonte: Washington Post

Pride and Prejudice Edição Culinária
Pride and Prejudice Edição Culinária

Elizabeth Bennet a mais amada heroína

Elizabeth Bennet a mais amada heroína da obra de Jane Austen está na lista das dez heroínas mais amada da literatura no site da AbeBooks, o que já sabemos ou, pelo menos concordamos, e portanto não nos surpreendemos, Mas há um detalhe interessante no texto de apresentação do site.

Primeiro vou colocar a frase escolhida, muito significativa na minha opinião, dita por Elizabeth para Mr. Darcy no capítulo 31 em duas traduções brasileiras:

“There is a stubbornness about me that never can bear to be frightened at the will of others. My courage always rises at every attempt to intimidate me.”

Tenho uma persistência que a vontade dos outros é incapaz de intimidar. Nesses momentos a minha coragem sempre me socorre. (trad. Lúcio Cardoso – várias editoras)

Há em mim uma obstinação que nunca me permite ser assustada pela vontade alheia. Minha coragem sempre emerge diante de tentativas para me acovardar. (trad. Celina Portocarrero – L&PM)

Agora vamos ao texto que mencionei que afirma que nossa admiração por Eizabeth é, na maioria das vezes, mais em função de Mr. Darcy. Eu gostaria muito de saber a opinião de vocês sobre essa afirmativa.

Let’s be honest, when people say they would like to be Elizabeth Bennet, they’re often more interested in Mr. Darcy than in Jane Austen’s most beloved heroine. But Elizabeth is so much more than her husband, and that is one of her greatest strengths. At a time when women were forced to marry for financial stability rather than love, Elizabeth chose the more difficult, uncertain option – and proved the doubters wrong. She took control of her own life, resisting societal pressure and maintaining her identity apart from marriage.

Sejamos honestos, quando as pessoas dizem que gostariam de ser Elizabeth Bennet, elas muitas vezes estão mais interessadas em Mr. Darcy do que na mais amada heroína de Jane Austen. Mas Elizabeth é muito mais interessante do que seu marido, e esse é um dos seus pontos mais forte. Em um tempo em que as mulheres eram forçadas a casar por motivos financeiros do que por amor, Elizabeth escolheu o mais difícil, a opção mais incerta – e provou aos que duvidavam que estavam errados. Ela tomou as rédeas de sua própria vida, resistindo a pressão social e mantendo sua identidade a parte do casamento.

Elizabeth Bennet a heroína mais amada
Elizabeth Bennet a heroína mais amada

Imagem: Biblioteca Jane Austen — Elizabeth Bennet em gravura de Helen Binyon, Pride and Prejudice, edição de 1938 da Penguin

Paixão de Kleiton e Kledir

Paixão de Kleiton e Kledir, single da dupla gaúcha gravada pela primeira vez em 1981 agora faz parte do repertório musical da novela Orgulho e Paixão. Segundo o artigo do G1, o hit sensual foi “adoçado”:

O atual single apresenta a gravação inédita feita pela dupla para a trilha sonora da novela Orgulho & paixão – atual atração da TV Globo no horário das 18h – com produção musical de Iuri Cunha. O arranjo de cordas adoça a canção, em sintonia com o tom mais romântico do que sensual da trama armada pelo novelista Marcos Bernstein com livre inspiração em livros da escritora inglesa Jane Austen (1775 – 1817).

Acredito que mesmo adoçando o arranjo a letra continuará bastante sensual como vocês podem ver abaixo. Estou curiosa para ouvir a nova gravação pois gosto muito dessa música além do fato de ser conterrânea dos cantores, de Pelotas, RS.

Para quem não conhece a música pode apreciar no You Tube. Links da nova versão nestes canais:
Spotify – https://spoti.fi/2EJt72Z
Itunes – https://apple.co/2HxVCUn
Google play – http://bit.ly/2qu7Wha
Deezer – http://bit.ly/2vcJMML

Paixão
Kleiton e Kledir

Amo tua voz e tua cor
E teu jeito de fazer amor
Revirando os olhos e o tapete,
Suspirando em falsete
Coisas que eu nem sei contar.

Ser feliz é tudo que se quer!
Ah! Esse maldito fecho éclair
De repente, a gente rasga a roupa
E uma febre muito louca
Faz o corpo arrepiar.

Depois do terceiro ou quarto copo
Tudo que vier eu topo.
Tudo que vier, vem bem.
Quando bebo perco o juízo.
Não me responsabilizo
Nem por mim, nem por ninguém.

Não quero ficar na tua vida
Como uma paixão mal resolvida
Dessas que a gente tem ciúme
E se encharca de perfume,
Faz que tenta se matar.

Vou ficar até o fim do dia
Decorando tua geografia
E essa aventura
Em carne e osso
Deixa marcas no pescoço.
Faz a gente levitar.

Tens um não sei que de paraíso
E o corpo mais preciso
Que o mais lindo dos mortais.
Tens uma beleza infinita
E a boca mais bonita
Que a minha já tocou.

Paixão de Kleiton e Kledir
Paixão de Kleiton e Kledir