web analytics

Artigos recomendados

25 comentários

  1. Concordo, Raquel. Especialmente a de “Sense and Sensibility”, que é bem despropositada.
    Em minha opinião, essas duas irmãs não tem nada a ver com Elinor e Marianne Dashwood, com essas expressões e esse aspecto de fofoqueiras.

    Se fossem, Emma e Harriet Smith até que seria condizente… rsrs

    A de “Persuasion” é a menos extravagante. Boa semana!

    1. Júnior!

      gostei da tua observação… acho que é isso mesmo. Fofoqueiras!

  2. A tragic tale? Meio exagerado, mas eu tenho de confessar que gostei do “mom’s fishing for husbands but the girls are hunting for love”, lol . A capa de Persuasion parece um pouco julia/bianca/sabrina, no entanto tenho de dar-lhes crédito pelas roupas adequadas, já vi capas de livros da regência por exemplo com roupas do periodo vitoriano.

  3. Parece pulp fiction. Me refiro ao papel, óbvio.

    Mas o traço e as cores são para fisgar mocinhas desavisadas da vida, mesmo.

  4. Parece que cor demais não combina tbem com as paisagens onde se passam as histórias; é maravilhoso ver o verde, as chuvas, etc, e não esse tom, posso até dizer, carnavalesco

  5. Nique disse tudo, Raquel.

    E sobre as cores berrantes, lembrei da musiquinha do Caetano: “como encadernação vistosa, feita para iletrados…”

  6. Parecem muito aquelas capas de romance de banca de jornal. Até o tipo de letra e a forma como o título, a autora e a chamada foram posicionados lembra esse tipo de romance.

    1. Camila,

      você lembra de outras capas no mesmo estilo que coloquei aqui?

  7. Oi Raquel,

    estas capas fazem-me lembrar as capas dos livros da Barbara Cartland nos anos 80, lembras-te?

    Beijo grande!

    Cátia

  8. Oi Raquel,

    Eu confesso que entre os meus 10 e 13 anos eu li muitos livros da Barbara Cartland, uma escritora inglesa. São romances açucarados que se vendiam em banca de jornal e nas feiras. Entretanto, já nem me lembrava dela até que vi as capas que você colocou. O meu passado adolescente não me enobrece… 😀

    Olha algumas: http://www.google.pt/images?hl=pt-pt&q=barbara+cartland+livros&pdl=300&um=1&ie=UTF-8&source=og&sa=N&tab=wi&biw=1024&bih=509

    Beijo

    Cátia

  9. Concordo inteiramente de que parece capa de livro de banca.
    Não me surpreenderia em nada se ao invés dos títulos originais estivesse escrito “Sabrina” ali na capa!!!

  10. Gostei de todas, mas a mina favorita foi a de Razão e Sensibilidade, bem divertidas e tiram o aspecto “velho” que a maioria das capas que são publicadas passam. =)

  11. A melhor parte dessas capas são as frases de efeito tentando descrever a obra em 140 caracteres: a de “Orgulho e Preconceito” mudou tudo e a de “Persuasão” jogou toda a culpa no pai.

  12. Beatriz: “Aspecto velho”? Não entendi…

    Então, vejamos: “Novo” ==> “divertido”?

    Então, é pra gente esquecer as encadenações importadas daquele cantinho lá da Livraria Cultura. Tudo velho e sem graça…

    Legal mesmo é o pulp. Pena que não há mais imagens coloridas e divertidas DENTRO! Pena, pena…

  13. Um HORROR Raquel!

    Além de ter um furo imperdoável em Persuasion…. onde fica Lady Russel como conselheira de Anne? Só perdeu para o “celeiro Northanger Abbey”!

    Popularizar Jane Austen? Tudo bem! Vulgarizar? Peraí, né????

  14. Achei a de Razão & Sensibilidade sem propósito, Orgulho & Preconceito bastante mamão com açúcar e a de Persuasão me fez rir, imaginei as dançarinas de Can Can e a portinha de madeira típica de bar Faroeste. Hahaha!

Comentários estão encerrado.