web analytics
BIOGRAFIAS,  MISCELÂNEA

A saga do(s) retrato(s) de Jane Austen

Semana passada quando li no site da BBC o artigo “Jane Austen ‘definitive’ portrait to be sold“, levei um choque! Imaginei que teriam descoberto um novo retrato de Jane ou que a National Gallery estava se desfazendo da aquarela de Cassandra. Quando li os detalhes percebi que parte do assunto eu desconhecia e teria que pesquisar para contar para vocês. Resolvi então fazer um texto com as imagens de modo que ficasse mais fácil de explicar. Espero ter acertado na escolha. Vamos lá!

Por volta do ano de 1810 Cassandra Austen fez um retrato de Jane Austen, em aquarela e lápis, que hoje se encontra na National Gallery. Nessa época Jane tinha uns 35 anos.

Retrato de Jane Austen, aquarela e lápis
feita por Cassandra Austen (circa 1810) (Imagem Wikipedia)

Em 1869 James Edward Austen-Leigh, sobrinho de Jane Austen, estava escrevendo a biografia da autora e encomendou um retrato que seria baseado na aquarela de Cassandra. Quem fez a nova aquarela foi James Andrews, um artista de Maidenhead,

Retrato e detalhe da aquarela de 1869 feita por James Andrew (Imagem: The Guardian)

Detalhe da aquarela de 1869 feita por James Andrew (Imagem: The Guardian)

Retrato e detalhe da aquarela de 1869 feita por James Andrew
(Imagem: The Guardian)

Aqui faço um parentese. Eu sempre pensei que o retrato encomendado era a gravura que está no frontispício do livro (imagem abaixo) e que teria sido baseada na aquarela de Cassandra, como consta na página da National Gallery e também nas declarações de Paula Byrne, autora da mais recente biografia intitulada The Real Jane Austen, neste artigo da BBC. Mas, segundo o The Guardian e também este outro artigo da BBC, a gravura foi baseada na aquarela de James Andrew.

Outro detalhe que me deixou intrigada foi o autor da gravura, William Home Lizars. Segundo a Wikipedia e outros sites, Lizars faleceu em 1859, o que tornaria impossível ser o autor da gravura,que foi feita baseada na aquarela de 1869. Definitivamente algo a continuar pesquisando. Quem sabe consigo algo mais na data do leilão da Sotheby’s em 10 de dezembro….

Gravura do frontispício da biografia A Memoir of Jane Austen, de James Edward Austen-Leigh, circa 1869-1870

Gravura do frontispício da biografia A Memoir of Jane Austen,
de James Edward Austen-Leigh, circa 1869-1870 (Imagem National Gallery)

Até 2017, ano do bicentenário da morte de Jane Austen certamente teremos muito que falar sobre retratos da autora. Teremos as cédulas do Banco da Inglaterra; o Rice Portrait que parece estar quase comprovado como Jane Austen jovem apesar da relutância da Gallery e também o desenho que pertence a Paula Byrne (citada acima) que continua sem confirmação de autenticidade.

A imagem em destaque no título do post é do marcador de página que fiz com detalhes da aquarela de Cassandra, minha imagem preferida de Jane.  O marcador de página está à venda no Antiguinha neste link.

Facebook Comments Box

2 Comentários

  • Júnior

    Bem esclarecedor, Raquel. Não fazia ideia desse fato. O que mais chamou minha atenção na matéria da BBC, foi o motivo que levou o sobrinho de Jane, James Edward Austen-Leigh, a encomendar um “novo” retrato. Pelo que entendi, ele não achou que a aquarela pintada por Cassandra fosse muito fiel a Jane e por isso encomendou uma versão mais “satisfatória”, baseada em suas próprias memórias. Eu achava que a única intenção dele era aprimorar o retrato, deixá-lo “mais acabado” e que o artista havia exacerbado nas mudanças.

    Não estava sabendo que o Rice Portrait está quase confirmado como Jane Austen na juventude. É uma linda obra. Ah, e sobre o retrato escolhido – pelo menos por enquanto – para as cédulas, li ontem por acaso a respeito das críticas de Paula Byrne. Concordo com ela.