web analytics
A Abadia de Northanger,  LIVROS,  Persuasão

Royal Crescent, fundos

É muito comum, acredito que em todo Brasil, casas com grandes terrenos nos quais foram construídas outras casas menores. Obviamente a numeração da rua continua uma só e a solução é endereçar para: Rua Tal, número tal, FUNDOS.

Quando li o último post de Tony Grant no Jane Austen Today, pensei na hora: “Royal Crescent, fundos…”. Antes de iniciar meu texto recomendo os posts de Tony sobre sua viagem à Bath: “Trip to Bath: Milsom Street”, “Did Jane Austen Visit Tenby?” e “A Tour Through Bath With Tony”.

Sempre tive curiosidade em saber como seria a parte dos fundos do conjunto The Circus e do Royal Crescent pois as fotos tiradas de grande distância, como o exemplo abaixo, não permitem ver detalhes.

E para minha supresa, Tony conta, no Jane Austen Today, que as casas do conjunto tem aos fundos diferentes por um motivo muito simples: o construtor fez e vendeu apenas a fachada e depois cada proprietário terminou os fundos de suas casas como bem lhes deu na telha! Deve ter sido algo muito interessante, e confuso.

A foto abaixo mostra perfeitamente as diferenças e mais um detalhe: as garagens. Não parecem com as nossas garagens improvisadas, puxadinhas para a calçada?

Parte dos fundos do prédio Royal Crescent em Bath
Imagem © Tony Grant (thanks for your kind permission)

4 Comentários