web analytics
MISCELÂNEA

Noticias de Jane Austen

No Quando Vovó Era Moça

No Jane Austen Portugal

No Modabilidade

Facebook Comments Box

16 Comentários

  • Fernanda Huguenin

    Raquel muito obrigada por postar o link do meu post,que
    me deu um certo trabalho para fazer,pois queria que ficasse perfeito,afinal foi meu 1º post relacionado a Jane no blog!

    • Raquel Sallaberry

      Fernanda,

      às vezes os blogs ficam doidos mesmo! Não se preocupe.

  • Marina

    Então deixa eu ver se eu entendi: até p/fazer um par romântico de mentirinha tem que ter química D. Keira Knightley? Ok, entendo, me lembrei agora de algumas cenas deletadas de “Dirty Dancing” e em como fiquei me perguntando como andava o auto-controle de Patrick Swayze (claro, levando-se em consideração que são épocas e costumes bem diferentes)! Bem, adorei saber que eles fizeram essa audição juntos, legal! Matthew foi escolhido, pelo o que eu sei, após ter feito a cena da reunião em grupo numa das salas de Netherfield, em que Darcy escreve uma carta e Caroline fica tagarelando.

  • Marina

    Olha não acho a Keira estrela não Raquel, mas o que eu questionei foi o fato dela ter mencionado essa coisa de “ah nós fizemos aquela cena da chuva daquele jeitinho ali mesmo na audição, com aproximação de beijinho e tudo” e que a tal empatia aconteceu logo de cara!

    Foi por isso que citei a cena deletada de “Dirty Dancing”, se vc der um pulinho no Youtube, vai entender porque fiquei pensando no auto-controle do Patrick.

    Sabe porque? Porque por mais que seja a profissão desse pessoal, por mais que eles saibam que é trabalho, eu acho qse impossível de na hora, no momento não rolar uma vontade à mais! Em “Dirty Dancing” conclui que foi impossível, já em O&P, tenho mais uma prova que esta mocinha ficou balançada, não sei dele porque o Matthew é tão reservado que qse não o vejo comentar essas coisas, aliás acho que ele não gosta, já que ele faz uma uma linha “anti-celeb” até porque o cara tem família, por si só já uma profissão que gera desconfiança.

    Das três uma: ou rolou e morreu lá onde aconteceu; ou ela quis muito que acontecesse mas não foi adiante; ou os dois quiseram, mas na hora H desistiram.

    Enfim, só sei que fica muito feio falar isso. Keira não precisa disso, se compararmos, a visibilidade dela tá melhor que a do Matthew…mas curiosamente ele não tá nem aí p/isso.

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      nunca li nada sobre Dirting e se o vi não lembro mais, então não posso comparar. Mas lembro de um filme “A filha de Ryan” (anos 70) que amei e achava que a química entre o casal protagonista era fabulosa. Muitos anos mais tarde descobri que o ator simplesmente não suportava a atriz e que chegou a declarar “como poderia fazer uma cena mais ardente se ela não despertava nada nele”. Mas fez e ficou ótima. O ator era imaturo, mas o diretor era ótimo.

      Quanto a Keira, a cada filme que vejo dela, acho-a cada vez mais sem sal. E tenho lido muitas criticas negativas do trabalho dela.

      Matthew Macfadyen no entanto a cada filme se consolida como um ator que veio para ficar e ser lembrado.Tem uma história deliciosa que descobri sobre ele que depois contarei aqui no blog!

  • Sandra

    Olá Marina e Raquel
    Com toda a certeza que o MM não fez só uma cena para ser escolhido como Darcy. A que se refere no texto foi uma das… e deve ter sido uma das que pesou na escolha.
    E sim, acho que é preciso química entre duas pessoas para que o a história seja credível.

    • Raquel Sallaberry

      Sandra,

      não sei quantas cenas ele fez e quanto à química, na minha opinião, são nossos olhos junto do profissionalismo dos atores.

  • Marina

    É Raquel, Keira está mesmo numa situação complicada tb aos meus olhos, não li tantas críticas, mas… em Piratas do Caribe, tenho certeza absoluta que quem viu com gosto, queria ver o Johnny Depp kkkkkk!Em “A Duquesa” me senti vendo Lizzie Bannet! Não proque tive problemas de desmistificar a personagem, mas a forma como ela atuou, foi a mesma, as mesmas caras e bocas! Ela atualmente está gravando com Mark Ruffalo, vamos ver o que vem aí, temos tb Anna Karennina p/analisar enfim…! Só acho estranho o fato de na época ela mencinar tanto o entrosamento com o Matthew sendo que ele não foi tão caloroso assim, comentou normalmente o dia-a-dia do set, sem entrar no jogo da mídia, que sempre tenta apimentar uma história de romance que faz sucesso (acho que Keira caiu nessa, ou se deixou cair).E confesso que estou altamente curiossíssima p/saber que historinha deliciosa é essa do MM! Me prometa que não vai demorar muito a contar? Por favor! 🙂

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      eu sou da seguinte opinião, quem tem talento não precisa inventar história. É o caso de Macfadyen e olha que em Orgulho e preconceito ele está muito aquém do talento dele.

  • Marina

    Em O&P (2005) o foco foi todo em Lizzie e nos Bennet! Apesar de Mr.Darcy ser o par romântico e tb um dos personagens centrais, ele ficou em 2º plano na versão. Mas o engraçado do Matthew é que mesmo em 2º plano em outros filmes que eu vi, ele deu um toque especial à trama. Não sou muito fã da versão mais recente de “Os Três Mosqueteiros”, mas pelos comentários que li dos espectadores (na maiorias espectadoras, só p/variar um pouco), ficaram bastante surpresos com a atuação dele. Muitos nem o conheciam, outros foram ver a versão por gostar da estória ou p/verem um Orlando Bloom da vida ou aquele ator novinho que fez o D’Artagnan (e que tb é o ladrão de raios da saga do Percy Jackson), mas…se depararam com “aquele homem lindo e talentoso” (essas palavras são de uma espectadora). Outro filme dele que gostei bastante foi “Incendiário” (2008) em que ele trabalha com Michelle Williams e Ewan McGregor. É um drama, cheio de suspense, com uma leve pitada romântica com um triângulo amoroso(digo que de romance não vi nada!). E de novo: o foco foi colecado em Ewan e Michelle, mas o Matthew…! Pensa num personagem ambíguo? No personagem mais intrigante da trama? Pois é…a cara dele, ele adora isso! O Ewan se apagou, mas muitos méritos à Michelle, ela arasou! Em Robin Hood, ele quase não deu o ar da graça mas cumpriu bem o papel. Enfim…se eu ficar falando aqui, vou rasgar muita seda kkkkkk!!! “Nunca fiz isso” pelo Matthew né…nem um pouquinho rs!

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      me parece que Macfadyen quer construir uma carreira sólida, então ele trabalha com afinco mesmo em papeis menores e não se expõem demais, como é o caso da Keira. As pessoas já estão cansadas das aparições dela pelo que pude perceber, isto tudo aliado a sua atuação bastante medíocre. Mas sabe-se lá o motivo de ser a queridinha dos diretores…

  • Marina

    Se ela fizer a linha da Kristen Stewart…dá p/imaginar o motivo.

    *veneno escorrendo no canto da boca

  • Fernanda Huguenin

    Ei Raquel, como você é perita em Austen,te faço essa pergunta muito importante: o que achou do meu post sobre “Orgulho e preconceito”?