web analytics

Em Mansfield Park a referencia aos irlandeses que encontrei foi um diálogo entre Henry Crawford e Maria Bertram sobre anedotas irlandesas, o que não deixa ter sua graça, pois este é o livro mais sério de Jane Austen.

O diálogo abaixo mostra Maria Bertram tentando extrair de Mr. Crawford o motivo das risadas dele e Julia durante o trajeto entre Mansfield e Sotherton.

MARIA BERTRAM “You seemed to enjoy your drive here very much this morning. I was glad to see you so well entertained. You and Julia were laughing the whole way.”
MR. CRAWFORD
“Were we? Yes, I believe we were; but I have not the least recollection at what. Oh! I believe I was relating to her some ridiculous stories of an old Irish groom of my uncle’s. Your sister loves to laugh.”
MARIA BERTRAM
“You think her more light-hearted than I am?”
MR. CRAWFORD
“More easily amused,” he replied; “consequently, you know,” smiling, “better company. I could not have hoped to entertain you with Irish anecdotes during a ten miles’ drive.”
MARIA BERTRAM
“Naturally, I believe, I am as lively as Julia, but I have more to think of now.”
| Chapter X |

~~~

MARIA BERTRAM — O senhor pareceu apreciar muito a viagem desta manhã. Gostei de vê-lo tão entretido. O senhor e Júlia vinham rindo todo o tempo.
MR. CRAWFORD
— Vínhamos mesmo? Sim, creio que vínhamos; mas não me recordo absolutamente por que ríamos. Oh! Parece-me que estive contando a ela qualquer história ridícula de um antigo cocheiro irlandês de meu tio. Sua irmã é muito alegre.
MARIA BERTRAM
— Acha que ela é mais alegre do que eu?
MR. CRAWFORD
— Diverte-se mais facilmente, respondeu ele.
MARIA BERTRAM
— Consequentemente é melhor companhia, disse a moça sorrindo.
MR. CRAWFORD
— Não poderia entreter a senhorita com anedotas irlandesas durante uma viagem de 16 quilômetros.
MARIA BERTRAM
— Pois eu sou tão jovial quanto Júlia, mas é que agora tenho muito em que pensar.
| trad. Rachel de Queiroz |

Aqui é possível perceber que as anedotas irlandesas eram consideradas simplórias e pouco dignas de um humor mais refinado, ou pelo menos é o que dá a entender a conversa de “cerca Lourenço” de Mr. Crawford e a ênfase no “you”, italizado no original.

O outro detalhe, que só percebi transcrevendo a tradução, foi a atribuição de parte do diálogo de Mr.Crawford a Maria Bertram (destacados em negrito nos dois textos). Pensei e repensei qual teria sido o motivo para essa modificação. Procurei em todos os meus exemplares e todos textos online que encontrei e o original é sempre igual, nada que possa levar a pensar que parte da frase seria de Maria Bertram. Esse jogo de “morde e assopra”, que pode ser premeditado ou impulso do momento, e continua sendo empregado até os dias de hoje para iniciar uma conquista!

Resumindo, ou eu não entendi o original ou a tradutora achou que era muita grosseria da parte de Henry dizer tal coisa para Maria.

Mr. Crawford, rindo com Julia, a caminho de Sotherton
Imagem do meu exemplar de MP

Views: 84

Artigos recomendados

4 comentários

  1. Quando li, entendi da mesma forma que você, Raquel.
    Provavelmente foi mudança feita pela própria Rachel de Queiróz. Ou talvez tenha sido um erro do revisor.

    1. Patrícia,

      penso que foi a tradutora, os revisores nesses casos normalmente apontam para manter o original.

  2. Hello! I just discovered your beautiful blog today thanks to a great feature on the Jane Austen Today blog.
    Your articles are thoughtful and interesting and it’s fascinating to see Jane Austen’s prose in Portuguese. I shall return often 🙂

Comentários estão encerrado.