Traduções de Jane Austen na Argentina

Categorias LIVROS

Chego em casa há pouco e tenho a grata surpresa da resposta da professora Nadine Aguilar e da senhora Susana Tagle, ambas da Sociedade Jane Austen de Buenos Aires com as informações sobre as traduções de Jane Austen na Argentina.

Transcrevo aqui a lista de publicações contidas na Newsletter 5 da JASBA:

1) Translations of Jane Austen’s novels
Persuasión, translated by M. Ortega y Gasset, Madrid, talleres Calpe, 1919.
Persuasión, by M. Ortega y Gasset, reedited in Buenos Aires by Espasa Calpe, 1948, (Colección Austral).
Persuasión. Buenos Aires, Ediciones del Club, 2003.
Orgullo y Prejuicio, Buenos Aires, W. M. Jackson, 1946
Orgullo y Prejuicio; Buenos Aires, Editor W. M. Jackson, 1968. Serie/Colección: Grandes Novelas de la Literatura Universal, volumen.6.
La Abadía de Northanger, Buenos Aires, Espasa-Calpe, 1951.
La Abadía de Northanger, 2ª edición, Buenos Aires, 1952 – (Austral, serie azul).
La Abadía de Northanger; traducción de César Aira — Buenos Aires, Sudamericana, 1978 .
Orgullo y prejuicio / Jane Austen; traducción de José J. de Urríes y Azara — Buenos Aires, Espasa-Calpe, 1952 .
Orgullo y Prejuicio, Edición W. M. Jackson, 1968, Serie “Colección: Grandes novelas de la Literatura Universal” ,Vol. 6.
Orgullo y prejuicio / Jane Austen ; traducción de Armando Lázaro Ros — Buenos Aires, Centro Editor de América Latina, 1969.

Mais adiante com as informações que recebi graciosamente vou procurar essas edições e suas capas para publicar aqui.

Muchas gracias, queridas Nadine e Suzana, e sejam bem-vindas ao Jane Austen em português!

JASBA – Jane Austen Society of Buenos Aires

Atualização em 22 de outubro de 2017: o link da JASBA não funciona mais e não encontrei mais referências à sociedade, somente um novo blog Jane Austen Argentina.

8 ideias sobre “Traduções de Jane Austen na Argentina

  1. Rebeca,
    não sei… fiquei curiosa também. Lá também parece que não traduziram todos os títulos!

  2. Que engraçado. Ao contrário do Brasil, que é uma dificuldade para achar uma tradução de “Abadia de Northanger”, lá parece ser mais fácil. Em compensação, cadê “Emma” e “Razão e Sensibilidade” na lista?

  3. Elaine,
    e Mansfield Park parece ser um raridade por lá também!
    Estou esperando notícias do meu querido da Alemanha e de uma amiga da Itália. Será que que lá também não tem Mansfield Park?

  4. Eu não estranho essa falta de “Mansfield Park”. É o único livro da Jane Austen que eu não consigo ler, por mais que me esforce. [Desculpe a quem gosta da história, mas acho esse livro insuportável.]
    Mas é curioso como certos romances têm mais aceitação que outros em que pese a cultura local. Bem interessante mesmo.

  5. Elaine,
    “bate aqui”! Eu não gostava do livro. A Fanny com aquela santarronice dela me deixava irritada. Mas os irmãos Crawford são meus favoritos e hoje sou fascinada com os pequenos detalhes de Mansfield…

Não é possível comentar.