Lendo Sense and Sensibility no Brasil 200 anos depois – parte III

No capítulo 37 que abre o terceiro tomo, levando em consideração a publicação original de Sense and Sensibility, temos Mrs. Jennings contando como “casualmente” soube do namoro secreto de Lucy Steel e Edward Ferrars. E com sua falta de sensibilidade ela diz para Elinor: There’s for you, my dear! Veja lá, minha querida!… |PT| Veja só,…Continue a ler “Lendo Sense and Sensibility no Brasil 200 anos depois – parte III”

Sense and Sensibility Brasil-Portugal – parte II

  Retomo a leitura comparada de Razão e sentimento e Sensibilidade e bom senso – Sense and Sensibility – no capítulo 23 no qual Elinor pondera sobre os fatos que levaram Lucy Steel a revelar seu relacionamento com Edward Ferrars. Ela chega a conclusão que este tivera uma paixoneta |PT|, ou como dizemos no Brasil, uma paixonite por Lucy. Na tradução brasileira esse termo…Continue a ler “Sense and Sensibility Brasil-Portugal – parte II”

Lendo Sense and Sensibility no Brasil 200 anos depois – parte I

Cátia, do Jane Austen Portugal eu, do Jane Austen Português, estamos lendo (sem comentarmos entre nós, de modo a não nos influenciarmos mutuamente) duas traduções, uma portuguesa e outra brasileira, de Sense and Sensibility. A leitura, que está sendo um aprendizado maravilhoso, é para comemorar o bicentenário da publicação de Sense and Sensibility, o primeiro livro publicado de Jane Austen. Eu…Continue a ler “Lendo Sense and Sensibility no Brasil 200 anos depois – parte I”

A idade de Marianne Dashwood

A idade de Marianne Dashwood despertou minha curiosidade ao ler as traduções* deSense and Sensibility para o desafio do bicentenário da publicação do livro. |3| Remember, my love, that you are not seventeen. |PT| — Lembra-te, minha querida, de que ainda não tens dezassete anos. |BR| — Lembre-se, minha querida, de que você ainda não tem dezesseis anos. No capítulo três, ainda…Continue a ler “A idade de Marianne Dashwood”