web analytics
MISCELÂNEA,  Orgulho e preconceito

Os 200 anos de Mr. Darcy no jornal O Globo

Mr. Darcy, muito melhor do que Christian Grey!Os 200 anos de Mr. Darcy estão sendo comemorados no jornal o Globo, hoje. Quem me avisou sobre a matéria foi Ivo Barroso. Obrigada, poeta!

Vejam um pequeno trecho que gostei:

Fitzwilliam Darcy nasceu herói do romance “Orgulho e preconceito”, de 1813, o segundo publicado pela inglesa Jane Austen. Charmoso e muito rico, ele é inicialmente rejeitado pela mocinha Elizabeth Bennet, que o crê arrogante e esnobe. Isso até descobrir que Mr. Darcy é generoso, corajoso e muito apaixonado. Perto dele, o safadinho Christian Grey, de “Cinquenta tons de cinza”, é um homem absolutamente desinteressante. Além de ser muito, mas muito vulgar.

O artigo completo assinado por de Renata Izaal está neste link, aberto para todos os leitores: “Mr. Darcy, personagem criado por Jane Austen, completa 200 anos e ainda é símbolo de sedução

Facebook Comments Box

15 Comentários

  • Na

    Dizer que esse Christian Grey, é o “novo Mr. Darcy”, minha filha, se mata!…
    Ja li alguma coisa sobre isso.¬¬

    • Raquel Sallaberry

      Na,

      se redime quando diz que é desinteresante muito, mas muito vulgar.

  • Marcia

    Verdade seja dita: Christian Gray está em alta! Mas não há parâmetros para comparação com Mr. Darcy! Seria o mesmo que comparar pedregulho com diamante!
    Mr. Darcy é Mr. Darcy há 200 anos e assim continuará a ser por outros 200. Gray não sobreviverá há mais 2 anos, pois esses produtos de modismo não perduram, assim como a tão aclamada saga “Crepúsculo” que anda ficando cada vez mais pálida, assim como seus personagens.
    Aja aja fighting, Mr. Darcy! kkkk

  • Marina

    Oi???? Como assim comparar comparar Darcy com C.Grey???? Nem em 1 milhão de anos!!!! Aquele perturbado nunca chegar aos pés do Darcy e aquela porcaria de livro deveria estar numa sessão literatura pornô em sexshop, não em livrarias! Ainda bem que não assisti….como sempre certos segmentos midiáticos acabando com a magia das coisas boas! ¬¬

    • Raquel Sallaberry

      Marina,

      é modinha, assim como é modinha chamar Jane Austen de feminista. Impossível conter a moda. Mas passa!

  • Letícia

    WHAT? Deus meu que comparação mais idiota, Cinquenta tons de cinza com OP!!! Morri… Pelo menos não é pior do que comparar Darcy com o vampiro brilhante Cullen de Crepusculo!¬¬
    Coitada da Jane Austen deve estar se revirando no tumulo!!!

    • Raquel Sallaberry

      Leticia,

      deve estar rindo a incompetência alheia que sempre precisam do nome dela para vender!

  • Celina

    Jane Austen nos deixou Mr Darcy como modelo de homen que deve ser desejado e suspirado por Mulheres de verdade. O Christian Grey foi criado com a missão de engordar a conta bancária da criadora: ô safadinho competente!!!

  • Juliana

    Olá! (meu idioma original é o espanhol, peço desculpas antecipadas por meu português!)

    Estou lendo o segundo livro da trilogia 50 shades, e gostaria comentar algumas coisas. Também quero esclarecer que sou uma apaixonada pelo personagem de Mr. Darcy, e pelas historias de Jane Austen. O livro 50 shades tem me dado muito em que pensar.

    Com o primeiro livro fiquei muito entusiasmada, pois populariza o BDSM, e despertou em mim curiosidade. Não tenho muito conhecimento sobre o tema. Não conseguia deixar de ler, essa é a verdade. Mas logo depois com o segundo livro, 50 shades of darker, fiquei um pouco mais calma e decidi pensar um pouco mais. A verdade é que o livro não é uma obra de literatura de alta qualidade, é um livro muito pobre, e para mim expõe (deixando de lado a parte pornográfica) o que muitas mulheres erroneamente desejam: um homem com as características de C. Gray, superprotetor. Mas o pior, expõe o desejo que tem muitas mulheres de querer transformar e melhorar a vida dos homens com problemas, ou querer transformar simplesmente o homem, tal como elas querem que ele seja. Como se diz no meu pais: “a las mujeres les gusta reabilitar gamines” (as mulheres gostam de reabilitar arruaceiros). A mulher acha que vai mudar a forma de ser da pessoa que ama…um erro que eu acho muito comum. O C. Gray é um homem perturbado que consegue superar seus temores com a ajuda da Anastacia……Já quase parecendo telenovela mexicana.

    Bem por outro lado, o livro é previsível, por exemplo, o C. Gray gosta de fazer sentir dor em mulheres com certas características físicas, que sejam similares aos da mãe biológica dele….Muito previsível….Desde muito tempo atrás já sabia que seria assim… Porque não mostrar simplesmente que existem pessoas que sentem prazer com certo tipo de atividade estilo BDSM?.

    Em fim, continuarei lendo o livro, já não com o mesmo entusiasmo que o primeiro, já comecei e vou terminar a trilogia. Mas, realmente o Mr. Darcy não tem alguém que consiga supera-lo.

    • Raquel Sallaberry

      Juliana,

      seja bem-vinda ao Jane Austen em Português!

      Por tudo que li até o momento sobre os 50 Tons, me parece que o personagem Gray é bem raso. No caso das mulheres mais parece a volta ao passado de submissão e fantasias de mudar o homem por elas escolhidas, o que é uma tolice, que muitas cometem. Em alguns casos, cometem a vida toda!