web analytics
MISCELÂNEA

Jane Austen e feminismo | Jacqueline Plensack

Posso dizer que Jacqueline Plensack é praticamente uma colaboradora do Jane Austen em Português pelo quantidade de matérias que já indicou para o blog. Desta vez sou eu a indicar um artigo de Jacqueline sobre o feminismo que foi escrito para a Revista Pólen. Cito a seguir um trecho do artigo “Jane Austen, uma feminista disfarçada”:

Ainda que tenha vivido há mais de duzentos anos, Jane só foi adotada como símbolo feminista na virada do século 19 para o século 20, com a ascensão do movimento sufragista. Em um artigo publicado na internet, a professora da Universidade do Alabama Devoney Looser mostra como as primeiras adaptações para o teatro das obras da autora foram escritas, produzidas e atuadas por atrizes ligadas ao movimento, como Rosina Filippi e Winifred Mayo.
O texto completo vocês poderão ler no site da revista, neste link.

anne

Anne Elliot e o capitão Harville conversam
sobre homens, mulheres e sentimentos
Filme Persuasion, 1995

Facebook Comments Box

6 Comentários

    • Raquel Sallaberry Brião

      Cacá,
      e olha que parece! E poderia ser pois ele está mostrando um retrato pintado do capitão Benwick que seria para sua irmã que era noiva de Benwick, e agora passaria para Louisa Musgrove.

  • Fernanda Huguenin

    Muito bom o artigo escrito pela Jacqueline Plensack! E acredito
    que por Jane não ser totalmente de acordo com as regras de pensar da sua época,criando personagens mais reais e racionais, faz com que sua obra seja fácil de muitas leitoras
    se identificarem e servir de inspiração pra elas em algumas situações na vida. 😀

    • Raquel Sallaberry Brião

      Fernanda,
      você colocou muito bem, servir de inspiração em algumas situações e não como doutrinação.

  • Fernanda Huguenin

    Usar os livros da Jane como doutrina seria muito complicado e exagerado, por
    muitos motivos, mas o maior deles (pra mim ao menos) é porque por mais que
    os leitores se identifiquem com os personagens, não quer dizer que eles são
    os personagens, vivendo naquela época que limitava muito no modo de viver
    nos sentido econômico e social . Cada leitor tem sua própria história e tem que
    aprender como lidar com os acontecimentos que aparecem nela da melhor forma
    possível que não prejudique ninguém ou a si mesmo. E por mais que um livro (ou vários rs) seja inesquecível e muito querido por nós,leitores, o livro é apenas uma forma de nos distrair da melhor forma, e só. Não deve ser usado como um manual ,achando que no final vamos ter o mesmo final feliz do protagonista! 😀

  • Raquel Correia

    O fantástico da Jane Austen é que ela conseguiu colocar em suas personagens a ideia que elas eram mais que uma flor de estufa, que elas possuem opinião, e que almejavam algo a mais do ver passivamente a vida passando. Acho que essas características das personagens de Austen que mostram o feminismo nascendo e que a própria Jane se tornou exemplo, de uma mulher forte que não precisou de marido para ser uma mulher completa.