web analytics
CARTAS,  LIVROS,  MISCELÂNEA

Jane Austen e as cores das heroínas

Em uma carta para Cassandra, de 24 de maio de 1813, Jane conta um passeio em Londres com o irmão Henry. Nessa carta ela descreve personagens de Orgulho e preconceito como se tivessem vida própria – notem que as senhoritas Bennet são mencionadas já com seus nomes de casadas!

Henry and I went to the exhibition in Spring Gardens. It is not thought a good collection, but I was very well pleased, particularly (pray tell Fanny) with a small portrait of Mrs. Bingley, excessively like her.
I went in hopes of seeing one of her sister, but there was no Mrs. Darcy. Perhaps, however, I may find her in the great exhibition, which we shall go to if we have time. I have no chance of her in the collection of Sir Joshua Reynolds’s paintings, which is now showing in Pall Mall, and which we are also to visit.
Mrs. Bingley’s is exactly herself – size, shaped face, features, and sweetness; there never was a greater likeness. She is dressed in a white gown, with green ornaments, which convinces me of what I had always supposed, that green was a favourite colour with her. I dare say Mrs. D. will be in yellow. [Sloane Street: Thursday, May 20, 1813.]

Henry e eu fomos a uma exibição em Spring Gardens. Não é considerada uma boa coleção, mas me agradou muito, particularmente (por favor, conte para Fanny) com um pequeno retrato da senhora Bingley, extremamente parecido com ela.
Eu fui na esperança de ver uma irmã dela, mas não havia uma senhora Darcy. Talvez, entretanto, eu possa achá-la na grande exposição, onde iremos se tivermos tempo. Não a achei também na coleção de pinturas de Sir Joshua Reynolds, que está sendo exibida em Pall Mall, a qual visitamos também.
A senhora Bingley está exatamente o que ela é – tamanho, molde do rosto, características e doçura; nunca houve maior parecença. Ela veste um vestido branco com ornamentos verdes, o que me convence daquilo que sempre imaginei, que verde era sua cor favorita. Atrevo-me a dizer que a da senhora Darcy será o amarelo.

Pois eu, Raquel, atrevi-me a atribuir uma cor a cada uma sete das heroínas – duas heroínas de Razão e sentimento pois as irmãs Dashwood são inseparáveis. E como atrevimento pouco é bobagem, discordo de Jane – não sobre a senhora Bingley gostar de verde, mas sobre o amarelo para a senhora Darcy. Saiba como depois da foto.

A primeira, como não podia deixar de ser, Elizabeth Bennet. Eu a imagino num exuberante vestido vermelho, logo após o noivado com nosso querido Mr. Darcy, numa visita formal à Lady Catherine De Bourgh. Vocês conseguem imaginar a expressão de Sua Senhoria?

Elinor Dashwood, noiva discreta do reverendo Edward Ferrars, sempre a vejo em tons de vinho ou lilás escuro e jamais dando margem para qualquer reprimenda da insuportável senhora Ferrars, sua futura sogra.

Marianne Dashwood, agora noiva do comedido coronel Brandon, mesmo usando algo mais discreto não abre mão de cor-de-rosa. Desconfio que ela irá decorar o quarto do casal nessa cor… e ele concordará estoicamente.

Catherine Morland continua uma criança e alegre como o noivo, Henry Tilney. Acredito que o azul foi sugestão dele – como todas nós sabemos ele entende um bocado de tecidos – para que ela abandonasse aquelas idéias góticas e usasse algo mais claro.

Fanny Price integrou-se de vez na paisagem de Mansfield Park usando verde e flores. Tudo muito simples pois tia Norris continua nas redondezas sempre pronta para destilar seu veneno. O noivo, Edmundo Bertram, como de costume não percebeu nada.

Quem se atreveria usar amarelo, quase dourado, a não ser a senhorita Emma Woodhouse de Hartfield? O senhor Knightley depois de noivo, cego de amor por aqueles “olhos de amêndoa autênticos”, acha que tudo combina maravilhosamente bem com ela. Pobre homem – receio que tenha perdido o juízo.

Anos de desconsideração da própria família levaram Anne Elliot a usar tons escuros onde o cinza sempre predominou. O noivado com o capitão Wentworth, um homem apaixonado mas prático, não modificou suas escolhas. Querida Anne, escolhi para você o mais lindo dos tecidos discretos.

  • Fotos, materiais, preços, onde e como comprar os cadernos no Restaure·Org ou entre em contato comigo AQUI.

7 Comentários

  • Ana Spoladore

    Acabei de ler Orgulho e Preconceito. Não consigo imaginar Elizabeth justo num vestido vermelho. Mas quem sabe, com toda aquela personalidade, não é mesmo?

  • Raquel

    Ana
    eu imaginei Elizabeth noiva e o vestido como atrevimento! Mas diga uma cor que você acha que Lizzie vestiria?!

  • R.Vinicius

    No momento em que Elizabeth Bennet e Mr. Darcy entraram Lady Catherine De Bourgh encontrava-se sentada para o chá da tarde; seu olhar penetrante, seus traços carregados pelo ar de nobreza foram pegos de surpresa. Uma surpresa que ela não soube conter. Lizzie, como é carinhosamente chamada pelo nobre Mr.Darcy, carregava no corpo um lindo vestido vermelho e nos passos o contentamento. Haviam se casado. Mr. Darcy levava o contentamento em seus olhos, olhos que brilhavam intensamente. Lady Catherine De Bourgh dispensou o chá, tentando conter o espanto que aquela visita estava lhe causando (..)

    Gostei dos cadernos e fiquei pensando – Como seria o caderno da jovem Jane Austen, quando ainda não havia sido publicada?
    Desculpe o atrevimento, mas tentei conter em poucas palavras a cena de Lizzie em seu lindo vestido vermelho. Consegue imaginar?

    R.Vinicius.

  • Raquel

    R. Vinicius
    Para ficarmos nas cores, eu imaginei Lady Catherine ficando roxa de raiva!
    O caderno de Jane, antes e depois da fama, seria sempre o mesmo. Esse caderno farei futuramente.