web analytics

Chawton era o local de um antigo povoado da Era da Pedra e consta do registro de 1086 do Domesday Book* como uma casa senhorial com terras cultivadas e florestas, propriedade de Oda, um barão do Hampshire. Por essa época, Guilherme, o Conquistador, obrigou Oda a entregar suas terras para um aliado normando, Hugh de Port. Pelo os três séculos seguintes a propriedade foi mantida por essa família.  Em 1551 a propriedade foi vendida para John Knight, cuja família já arrendava o local desde o século 13. O neto de John Knight substituiu a antiga mansão medieval por uma no estilo Elizabetano em uma obra que durou trinta anos. Desde então a propriedade permaneceu na familia Knight, embora em muitas ocasiões tenha sido herdada pela descendência feminina o que exigiu que herdeiros mudassem o nome para Knight. Como foi o caso do Thomas Brodnax May que passou a chamar-se Thomas Knight e que por sua vez também não teve filhos e adotou Edward,  irmão de Jane Austen que passou a chamar-se Austen-Knight.

“a little wilderness” ou pequeno bosque em Chawton

Em 1809, já de posse de suas herdades, Edward ofereceu uma pequena casa no vilarejo de Chawton para a mãe e as irmãs, Jane e Cassandra. Jane Austen morou nessa casa até quase sua morte, quando foi para Winchester para tratamento. Após a morte da escritora, Cassandara e a mãe continuaram na casa. Sobre essa casa, que hoje é o Museu Jane Austen, farei outro post mais adiante.

Janela de Chawron House antes de reparo

A mansão de Chawton passou a ser a moradia do filho de Edward Austen-Knight – de mesmo nome do pai, Edward – em 1826. Este sobrinho de Jane fez muitas melhorias na casa. Depois de sua morte, o filho Montagu também gastou quantias consideráveis de tempo e dinheiro na restauração e modernização da casa. Montagu não teve filhos e deixou para um sobrinho, Lionel que por sua vez deixou para o filho Edward Knight III. As taxas de sucessão e o aumento dos custos de manutenção muito caros após a guerra deu início a um longo período de declínio com a venda de construções periféricas da propriedade e a subdivisão da mansão em apartamentos.

Chawton House com neve, foto lindíssima de Ray Moseley, março de 2008

Em 1987, quando Richard Knight herdou Chawton, partes da casa estavam abandonadas, o teto com goteiras e os jardins tomados pelo mato. O estrago estancou quando em 1993 a mansão foi arrendada por 125 anos por uma instituição: a biblioteca fundada por Sandy Lerner e seu (ex)marido, Leonard Bosack, fundadores da Sisco Systems. Após dez anos de grandes obras de restauro e reparos a mansão foi reaberta em julho de 2003 como Chawton House Library. A biblioteca tem uma coleção de livros, na sua maioria de autoras inglesas de 1600 a 1830, reunidos e doados por Sandy Lerner. Nessa biblioteca encontra-se o manuscrito da juvenília de Jane Austen, History of Sir Charles Grandison.

Richard Knight continua como herdeiro da propriedade e participa ativamente da administração do projeto. As partes externas ainda estão em reparos e a casa aceita ajuda de voluntários para serviços, além de contribuições já que não conta com subsídios governamentais.

Richard Knight e Sandy Lerner

Os links abaixo são todos em inglês mas há lindas fotos com legendas que facilmente identificamos o assunto e a beleza do local.

E para a gente “morrer de vontade” esta sala de leitura da biblioteca

* Domesday Book ou somente Domesday é um livro-registro dos donos de terras e propriedades da Inglaterra, feito em 1085/1086.

Views: 113

Artigos recomendados

5 comentários

  1. Adorei as fotos, principalmente a biblioteca. Hoje em dia, os apartamentos são tão pequenos que mal sobra espaço pra fazer um escritório com os livros.

    1. Rebeca,
      às vezes temos apenas um cantinho. O que me arrepia mesmo é ver apenas uma TV gigantesca e nem um mísero livrinho!

  2. AH eu amei essa sala de leitura, adorei também o post, muito interessante a historia da propriedade.

Comentários estão encerrado.