Theresa May sobre Jane Austen

Theresa May, Primeira MInistra da Inglaterra, fala sobre Jane Austen em entrevista concedida a Jason Cowley editor do New Statesman.

O jornalista perguntou:

Austen ou Brontë? Para o caso de você perguntar: qual Brontë? Então vamos dizer Austen ou Charlotte Brontë?

Eu li as duas, mas se eu tivesse que escolher seria Austen. Quando me perguntam sobre o meu livro favorito, eu sempre digo Orgulho e preconceito. Eu às vezes pairo entre Emma e Orgulho e preconceito [mas eu] sempre fico com Orgulho e preconceito. Os diálogos entre Elizabeth Bennet e Darcy – a sagacidade que ela traz para eles [diálogos], eu acho que é simplesmente maravilhoso.

Estamos muito bem de primeira ministra, pois não?

Artigo completo em inglês: “Theresa May: quickfire questions on Jane Austen, late nights and Original Sin

Theresa May

Theresa May, Primeira Ministra da Inglaterra – Foto divulgação Newstatesman

6 comentários sobre “Theresa May sobre Jane Austen

  1. pat disse:

    Meu primeiro pensamento foi que qualquer uma das duas seria uma boa escolha, mas pensando bem também prefiro a nossa Jane. Claro que são estilos muito diferentes, acho que nem caberia uma comparação. Mas acho que as obras da JA são mais agradáveis de ler e reler. E ainda não perdoei a Charlotte pelo final de Villette, hehe.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Pat,
      como não li Villete não posso opinar. Mas claro que mesmo gostando de ambas podemos preferir uma à outra.

  2. Tony Grant disse:

    Apparently Winston Churchill read Jane Austen too. I don’t think you can choose between Austen and the any of the Brontes. They are different writers and came from different backgrounds. Austen wrote about the relationships between people while the Brontes, Charlotte, Anne and Emily, emphasised the ills of society and moral conflicts. One is not better than the other, just different.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Tony,
      yes Churchill read Jane too. I think you can like both and at the same time prefer one to another.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Adriana,
      de fato não é preciso escolher mas pode-se gostar mais de uma do que da outra, só gosto, nada de escolha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *