O primeiro Jane Austen de Laura

O primeiro Jane Austen de Laura, minha sobrinha-neta que chegou em março, é A pequena Jane Austen – Orgulho e preconceito, da coleção de pequenos autores publicada pela Nova Fronteira com texto de Jennifer Adams, ilustrações de Alison Oliver e tradução de Janaína Senna.

Quando Laura estiver maior e já mordendo livros, pois é assim que entramos no mundo da literatura, prometo novo post com ela e sua biblioteca. Sim, ela já tem uma biblioteca que herdou da mãe e agora começa a ganhar novas edições.

Se alguém tiver indicações de livros para bebês em espanhol, por favor me avise pois vamos precisar também. Até o momento tenho apenas o maravilhoso El rey que se equivocó de cuento de Antonio Granados mas é para crianças maiores.

PS: Agora vocês já sabem quem é mais nova dona do meu tempo!

O primeiro livro de Jane Austen de Laura

O primeiro livro de Jane Austen de Laura

Novela Novo Mundo e Jane Austen

A novela Novo Mundo, da rede Globo, mencionou Jane Austen e Orgulho e preconceito em seus capítulos iniciais. A trama se passa no período do casamento do príncipe Dom Pedro e a princesa Leopoldina. Em novembro de 1817 Leopoldina chegou no Rio de Janeiro mas seu casamento já havia sido feito por procuração em maio desse mesmo ano. Em 2017 celebramos o bicentenário da morte de Jane Austen no bicentenário e podemos dizer o mesmo do casamento do nosso primeiro imperador.

A personagem Anna Millman, interpretada pela atriz Isabelle Drummond, heroína da novela, recebe do vilão Thomas Johnson, o ator Gabriel Braga Nunes, um livro de presente que ela ao abrir o pacote vê que é de Jane Austen. Ela agradece e diz gostar muito de Austen. Esta é a primeira cena e que você pode assistir online neste link.

Mais tarde o irmão de criação de Anna Millman, Piatã, feito pelo ator Rodrigo Simas, ao ver o livro na cabine da irmã lê o título do volume ricamente encadernado em vermelho com letras douradas na lombada: Orgulho e preconceito. Ele pergunta se ela já havia lido esse livro, ela responde que sim mas que aceitou o presente do capitão Thomas Johnson para ser gentil. A segunda cena está neste link.

Semana passada também compartilhei no Facebook sobre a declaração da atriz Isabelle Drumond que tem buscado inspiração nos livros de Jane Austen para compor a personagem pois a autora é uma mulher a frente de seu tempo. Espero que tenha se inspirado em Elizabeth Bennet!

A personagem é levemente inspirada na inglesa Maria Graham, que de fato veio ao  Brasil e foi preceptora da filha de Leopoldina e Pedro, a princesa Dona Maria da Glória. A vida de Maria Graham por si só valeria uma série pois foi bem movimentada e atípica para a época como vocês poderão ver nesta página da Wikipédia.

Jane Austen e Orgulho e preconceito na novela Novo Mundo

Jane Austen e Orgulho e preconceito na novela Novo Mundo

Patricinhas de Beverly Hills em quadrinhos

As patricinhas de Beverly Hills terá uma versão em quadrinhos (HQ). O título original do filme é Clueless, uma versão moderna de Emma de Jane Austen, que foi lançado na ótima safra de filmes de 1995.

Os protagonistas do filme foram: Paul Rudd, no papel de Josh que corresponderia a Mr. Knightley; Brittany Murphy como Tai a Harriet Smith da história e Alícia Silverstone como Cher Horowitz a moderna Emma.

A HQ será escrita por Amber Benson e Sarah Kuhn com desenhos de Siobhan Keenan e capa de Natacha Bustos e publicado pela Boom! Comics.

O filme fez muito sucesso e pelo que vejo na imagem da pré-capa (abaixo) os autores da versão em HQ serão fiéis ao figurino original que também fez sucesso. Aguardemos a publicação que está prevista para agosto deste ano.

Patricinhas de Beverly Hills em quadrinhos (HQ) - Clueless Comics

Patricinhas de Beverly Hills em quadrinhos (HQ) – Clueless Comics

FONTE: Vanity Fair | IMAGEM: Boom Studios, divulgação

Jane Austen em Whitechapel

Jane Austen foi mencionada na série inglesa Whitechapel onde o personagem principal, o detetive Joseph Chandler é interpretado por Rupert Penry-Jones, nosso capitão Wentworth de 2007.

A série transcorre nos dias de hoje, em Londres, no distrito de Whitechapel onde ocorreram os crimes cometidos pelo famoso Jack o Estripador, caso até hoje não desvendado.

O detetive Chandler é reservado, tímido e muito bem vestido, tanto que não resisti e coloquei uma boa foto de divulgação no final depois das capturas de tela que estão sofríveis e servem apenas para contar a história.

Ao longo da série vamos percebendo que o detetive tem um comportamento compulsivo. Ele é muito organizado e tudo precisar de estar limpo ao seu redor o que inclui trocas de camisas constantes (atenção meninas…). Resumindo, tem TOC, e como todo portador dessa síndrome tem dificuldade em relacionamentos, principalmente os amorosos.

Em um desses momentos que a indecisão dele em relação a uma moça não o leva a lugar algum o parceiro dele ,Ray, explica a situação citando Jane Austen.

Jane Austen em Whitechapel

Jane Austen na série Whitechapel

Rupert Penry-Jones em Whitechapel

Phil Davis (DS Ray Miles) e Rupert Penry-Jones (DI Joseph Clandlers) em Whitechapel

Mrs. Bennet em Downton Abbey

Tenho certeza que Mrs. Bennet ficaria tão encantada com Downton Abbey e Lorde Grantham como ficou com Mr. Darcy e Pemberley.

A série Downton Abbey, que atualmente está no Netflix até a quinta temporada, e que assisti pela segunda vez prestando atenção nos detalhes é um primor em citar escritores, artistas e pessoas que se destacavam na época em se desenrola a história.

E uma das menções a Jane Austen é via Mrs. Bennet. Para quem não lembra do episódio faço pequena introdução.

Violet Crawley,  condessa de Grantham viúva e matriarca da família, interpretada pela maravilhosa Maggie Smith,  resolve atrapalhar o namoro de sua amiga (e quase inimiga) senhora Crawley com lorde Merton por achar que não estão no mesmo patamar social. Para tanto convoca outra viúva,  Lady Shackleton, que pelo visto também quer casar e assim impedir o romance dos dois.

Na conversa que tiveram Lady Shackleton já antevendo uma possibilidade de casamento e assim se livrar dos filhos, dos quais depende, diz uma versão da primeira frase de Orgulho e preconceito.

Downton Abbey e Mrs. Bennet

Downton Abbey e Mrs. Bennet

Primeiras Impressões por Lais Rodrigues

Primeiras impressões de Lais Ribeiro inaugura o selo Revelações da editora Pedrazul. O livro é inspirado em Orgulho e preconceito e coloca os personagens na cidade Búzios no estado do Rio de Janeiro. Leiam a sinopse:

A surpreendente temporada de Mr. Darcy no Brasil!
Charles Bing, um otimista incorrigível, decide que está na hora de internacionalizar a sua bem-sucedida cadeia de restaurantes nova-iorquina. Deseja começar pelo país que sempre incitou sua curiosidade: o Brasil. E nada melhor que Búzios, uma belíssima cidade turística no litoral do Rio de Janeiro. A fim de garantir que sua escolha será acertada, ele leva a tiracolo o seu melhor amigo, Frederick Darcy, um político americano de família conservadora, que se orgulha de ser um homem racional e prático. Mal sabem eles que, ao chegar à cidade paradisíaca, virarão alvo de Janaína Benevides, dona das pousadas mais requisitadas do balneário. Ela é mãe de quatro belas moças, que são, para sua tristeza, solteiras. Janaína preocupa-se, em especial, com a solidão de Jane e Lizzie Benevides, as mais velhas. Enquanto a primeira acaba se decepcionando em seus relacionamentos, por ser uma pessoa que sempre busca ver o melhor nas pessoas, a outra não deixa nenhum homem se aproximar.

O livro está na pré-venda com preço promocional de 29,90 no site da editora e tem entrega prevista para final de março.

Primeiras Impressoes por Lais Rodrigues

Primeiras Impressoes por Lais Rodrigues – Editora Pedrazul