Jane Austen e a literatura politicamente incorreta

janeaustenRodrigo Simonsen, que conhecemos pela publicação do livro A fórmula do amor, de Elizabeth Kantor, está lançando outro livro de Kantor, o Guia Politicamente Incorreto da Literatura onde nossa Jane é uma das mencionadas. Fico imaginando qual livro a terá qualificado para tanto. Meu palpite é Persuasão.

Qual é o palpite de vocês?

Detalhe importante, este livo será publicado pela nova editora de Rodrigo, a Simonsen, que lançou usando uma campanha de crowdfunding, essa nova  maneira de financiar publicações e que vocês podem participar e ao mesmo tempo garantir seu exemplar. Vejam neste link como funciona e como vocês podem participar.

Aproveito para mencionar outra campanha da editora Simonsen, O outro lado do feminismo, de Suzanne Venker e Phyllis Schlafly, e desse modo faço um contraponto ao post “feminismo e Jane Austen” que indiquei semana passada pois sei que tenho leitoras em todo espectro desse tema.

IMAGEM: Jane Austen de um exemplar de Pride and Prejudice publicado pela Dodd, Mead & Company em 1945.

Lendo as cartas de Jane Austen | Caderneta Livresca

Estou aqui morrendo de inveja da querida Mell Siciliano, leitora do blog, que conheci pessoalmente no lançamento das Novelas Inacabadas e que lamento muito não termos tido tempo de conversarmos mais na ocasião.

Brincadeiras à parte, fico muito contente que uma Janeite do quilate de Mell esteja lendo as cartas de Jane de Austen e compartilhando conosco suas descobertas. Ela iniciou comentado as menções a “Tom Lefroy” e agora está fazendo uma lista comentada sobre os livros que Jane menciona.

Já foram publicados dois posts sobre as leituras de Jane Austen: “Livros que Jane leu – parte 1” e “Livros que Jane leu – parte 2“. Como, certamente, Mell terá outras tantas novidades ao longo de sua leitura recomendo que vocês acompanhem seu blog, o Caderneta Livresca.

PS: Mell, se você quiser acrescentar ou corrigir algum detalhe neste post, por favor, esteja à vontade.

Caderneta Livresca

Emma Woodhouse por Fritz Kredel

A compra da edição especial de Emma publicado em 1964 pela Heritage Press foi um achado, tanto pelo preço como pela raridade e também pelo ótimo estado do exemplar. O livro contem 32 ilustrações coloridas feitas por Fritz Kredel.

A ilustração escolhida foi do capítulo 31 que retrata Emma lendo, e admirando, uma carta que Frank Churchill escreveu para a senhora Weston.

Emma por Fritz Kredel

It was a long, well-written letter

Jane Austen e feminismo | Jacqueline Plensack

Posso dizer que Jacqueline Plensack é praticamente uma colaboradora do Jane Austen em Português pelo quantidade de matérias que já indicou para o blog. Desta vez sou eu a indicar um artigo de Jacqueline sobre o feminismo que foi escrito para a Revista Pólen. Cito a seguir um trecho do artigo “Jane Austen, uma feminista disfarçada”:

Ainda que tenha vivido há mais de duzentos anos, Jane só foi adotada como símbolo feminista na virada do século 19 para o século 20, com a ascensão do movimento sufragista. Em um artigo publicado na internet, a professora da Universidade do Alabama Devoney Looser mostra como as primeiras adaptações para o teatro das obras da autora foram escritas, produzidas e atuadas por atrizes ligadas ao movimento, como Rosina Filippi e Winifred Mayo.
O texto completo vocês poderão ler no site da revista, neste link.

anne

Anne Elliot e o capitão Harville conversam
sobre homens, mulheres e sentimentos
Filme Persuasion, 1995

Emma | Nelson Classics, 1937

A primeira pergunta que me fiz quando encontrei no eBay esta edição de Emma foi: será que tem a coleção completa? Me concentrei e não procurei. Não posso alimentar vícios logo no início da semana!

O que resta admirável nesta publicação da Nelson Classics de 1937 é ter a sobrecapa em estado razoável. Deve ter pertencido a alguém muito cuidadoso pois já tem mais de 75 anos.

A imagem da capa é o sacripanta do Frank Churchill consertando, ou fingindo consertar, os óculos da senhora Bates enquanto conversa com Emma. Ao fundo Jane Fairfax disfarça também tocando o seu novo piano.

Emma, Nelson Classics

Gazeta de Meryton, 5 de abril de 2015

EDITORIAL

Toda vez que deixo de publicar notícias do mundo de Jane Austen digo para mim mesmo: volta a publicar, pelo menos uma vez por mês, a Gazeta de Meryton! Neste mês de abril será apenas esta edição pois viajarei e voltarei somente em maio. Estou com pelo menos dois posts programados por semana e na medida do possível publicarei as novidades que surgirem.

Esta será a primeira edição noturna da Gazeta!

LIVROS

No tempo de Jane de Denise Corrêa Macedo. O livro está à venda no formato digital na livraria Saraiva. Não sei se será publicado em papel.

Orgulho de Lajosy Silva. O professor Lajosy também adaptou Mansfield Park para apresentação no seminário “Leituras de Jane Austen” na Universidade Federal do Amazonas. O livro está à venda na livraria Saraiva, na Estante Virtual e no Livronauta.

Novas traduções portuguesas pela editora Relógio D’Água:

Persuasão, trad. Rogério Casanova.

Lady Susan, trad. Hugo Pinto Santos.

E o lançamento previsto para maio de Mansfield Park (sem indicação da tradução)

VIAGEM

A agência Fine Destinations, de Florianópolis, está organizando uma viagem cujo tema é Jane Austen. Quem quiser mais informações acesse o site (link acima) ou pela página do Facebook.

BAILE

O “Club del libro Jane Austen Argentina” realizou ontem, 4 de abril, um baile de outono. Fotos e detalhes em sua página no Facebook.

IMAGEM PARA FACEBOOK

Foto da minha coleção Penguin Classics Clothbound

face_clothbound