Os mistérios de Udolpho – O gótico no seu apogeu

Ainda não li Os Mistérios de Udolpho pois quero fazê-lo sem pressa e, infelizmente, este tempo é um luxo que não tenho no momento. Mas vocês, leitores do Jane Austen em Portugês, não ficarão sem uma indicação de peso. Claire Scorzi de quem já tenho publicado o artigo “Jane Austen e os movimentos literários” e o vídeo “Jane Austen”.nos autorizou graciosamente a publicação de sua resenha sobre Os Mistérios de Udolpho que foi lançado, em dois volumes, pela editora Pedrazul.

“Os mistérios de Udolpho – O gótico no seu apogeu”
por Claire Scorzi

Ann Radcliffe ficou conhecida por este e outros romances góticos – livros de mistério, suspense, ambientados em geral fora da Inglaterra (aqui, França e Itália) o que devia dar uma atmosfera “exótica” ao público leitor inglês, e quem sabe a ideia de que tais horrores não aconteceriam em solo britânico…

Otto Maria Carpeaux (História da Literatura Ocidental) escreveu que Radcliffe tinha certo talento literário, mas que hoje não a leríamos mais. Esta é uma das vezes em que discordo do grande Carpeaux. Embora eu não tenha como saber, ainda, se Radcliffe escreveu uma “obra” que permanecerá – só li este – apreciei muito descobrir que Ann Radcliffe tinha, de fato, talento literário:

Usa o gótico com discernimento, sem exagerar nas cenas e optando sempre pelo gótico fundamentado na razão – todos os “eventos estranhos” tem explicação racional – e criando boas cenas de suspense;

a atmosfera da narrativa é cuidada, sem transições abruptas e superficiais;

um possível feminismo – só possível! rs – na sua heroína, Emily, cuja firmeza moral é a sua única “arma” contra Montoni, mas que a autora consegue tornar admirável em mais de um episódio de confronto entre os dois personagens;

ausência do cinismo e irreverência tão comuns na literatura inglesa do século XVIII – ou seja, nada de Fielding – sem, contudo, abrir mão de um humor discreto;

frases de personagens memoráveis (inclusive algumas de Emily enfrentando Montoni);

personagens de apoio simpáticos (Annette e Ludovico, para citar só dois);

esforço de análise psicológica, o que me fez suspeitar que Radcliffe tinha certa familiaridade com a literatura francesa da época.

Enfim: um romance que merece ser lido.

Os mistérios de Udolpho

3 comentários sobre “Os mistérios de Udolpho – O gótico no seu apogeu

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Claire,
      em primeiro lugar muito obrigada pela autorização para publicar seu artigo.
      Sobre o comentário, tem apenas este e a caixa de spam está vazia. Tente novamente, por favor! ou mande via contato que publico.

  1. Rebeca Lima disse:

    Apesar de ter interesse na obra por causa da referência em “A Abadia de Northanger”, não estava tão empolgada: “Evelina”, que veio com a recomendação de ser de uma das autoras favoritas de Jane Austen, foi uma leitura muito cansativa (e que me fez compreender ainda mais o quão genial era Austen tanto na questão de desenvolvimento das personagens e condução do enredo, quanto na habilidade de edição do texto – ela foi pioneira mesmo) e arrastada. Mas quando vi as observações da Claire no Skoob tive muita vontade de ler “Os mistérios de Udolpho”. Está na lista.

    Beijos, Raquel!

    P.S.: Já viu o vídeo que ela fez de “Pâmela”? Está ótimo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *