Darcy e Elizabeth em três momentos

Encontrei hoje três cartões que fiz das aquarelas de C. E. Brock que considero são três momentos importantes de como a relacionamento entre Elizabeth Bennet e Mr. Darcy se desenvolve durante o romance.

A primeira aquarela é do baile em Meryton quando se conheceram. Mr. Darcy foi muito rude e se recusou a dançar com Elizabeth e entre as barbaridades que falou está a infame, “Ela é tolerável, eu suponho…”.

Na segunda, num sarau na casa dos Lucas, chega a vez de Elizabeth se vingar. Ela se recusa peremptoriamente a dançar com Darcy e antes de virar as costas lhe constrange dizendo que ele, Darcy, era sempre muito gentil.

Por fim o nosso orgulhoso casal tem uma conversa sincera, quando Darcy a pede em casamento novamente e é aceito.

Orgulho e preconceito tem muitos outros momentos importantes e estes três que mencionei são apenas um pretexto para iniciar um  bate-papo e perguntar para vocês:

Quais momentos, e não precisam ser de Darcy e Elizabeth, que vocês mais gostam em Orgulho e preconceito?

Esta enquete ficará em destaque até o final de agosto quando sortearei os três cartões, mas podem comentar à vontade – e mais de uma vez –, pois não é um sorteio convencional.

Orgulho e preconceito - três momentos

61 comentários sobre “Darcy e Elizabeth em três momentos

  1. Alanessa disse:

    Um dos muitos momentos mais incríveis, é quando eles se encontram em Pemberley, depois da recusa de Elizabeth e da descoberta da verdade e de como Darcy realmente é, quando ela o vê verdadeiramente pela primeira vez, como um homem caridoso, bom patrão e um irmão maravilhoso, o nosso tão apaixonante Darcy.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Alanessa,

      Pemberley, na minha opinião é continuação da leitura da carta que ele entregou em Rosings e a comprovação do que ela já intuía.

  2. Rebeca disse:

    Seguindo o exemplo dos 3 cartões, escolhi meus 3 “top momentos” em Orgulho e Preconceito:

    1) Quando Elizabeth dá a primeira resposta “mal-criada” para o Darcy, durante o baile.
    2) Quando Elizabeth se encontra com o Mr. Darcy em Pemberley.
    3) Quando Elizabeth recebe a carta do Mr. Darcy.

    Bjos,
    Rebeca

  3. Júlia Tavares disse:

    O pedido de casamento de Bingley a Jane, a recusa de Lizzie por Mr. Collins e a fuga da caçula com Wickham.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Júlia,
      você tocou num ponto importante, a fuga de Lydia que foi mais um ponto em favor de Mr. Darcy ao ajudar a família ao promover o casamento dos dois fugitivos.

  4. Alice disse:

    São vários momentos marcantes, essa conversa do segundo pedido é um dos preferidos.
    Mas fico comovida com o encontro dos dois em Pemberley, da cumplicidade e da aproximação de Lizzy com Georgiana, quando o casal parece ter resolvido todas as diferenças até vir a notícia bombástica sobre Lydia. Também admiro nesse momento, a sensibilidade e discrição do casal Gardner em relação aos nossos protagonistas.

  5. Solange disse:

    São vários !

    – Quando Mr. Darcy pede a mão de Miss Bennet ao pai dela.
    – O momento quando Mr. Bingley bem nervoso, conversa com Mr. Darcy sobre pedir Miss Bennet em casamento.
    – O momento em que Mr. Bingley, de fato, pede a Miss Bennet em casamento.
    – O baile dos Bingley…

    Aff ! Acho que sou fã do Mr. Bingley 😀

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Solange,

      que bom descobrir uma fã de Mr. Bingley! Ele de fato é uma criatura de bem com a vida.

  6. Bianca Gertge disse:

    Quando Elizabeth toca piano em Pemberly. A admiração e amor estampados no rosto de Darcy é lindo demais, assim como o amor florescendo cada vez mais em Elizabeth.

  7. Monyque Targino disse:

    Quando o Mr. Darcy conhece a Elizabeth*
    Quando o Mr. Collins tenta falar com o Mr. Darcy (coitado!)*
    Quando a Jane dança com o Bingley*
    A segunda vez que o Mr. Darcy se declara*

      • Monyque Targino disse:

        Não, não. Na verdade, eu só me interpretei mal. A maioria dos que eu comentei são citados no livro 😀

  8. Danilene Mereles disse:

    São cinco grandes momentos para mim.

    O primeiro é quando a Elizabeth está chateada com o Mr. Darcy por tê-la chamada de feia, após isso em uma conversa com a Mrs. Bennet, Mr. Bingley, Jane, Mr. Darcy… Ela diz que a poesia afugenta uma paixão. Ele a pergunta o que deve fazer para estimular a afeição, Lizzy diz dançar.

    O segundo momento é quando Mr. Darcy e Elizabeth dançam juntos no baile de Netherfield – o filme de 2005, captou bem a cena que eu imaginei-, parece que só eles dançam e nada mais importa.

    O terceiro : Jane e Mr. Bingley dançando em Netherfield, quanto amor e ambos são tímidos.

    O quarto: a carta! Tão cego de paixão como o Mr. Darcy está… Ele se explica! Como se precisasse …

    O quinto: A amizade entre Charlotte Lucas e Elizabeth … Quando nossa amiga heroína visita a amiga em sua humilde casa perto de Rosings Park.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Danilene,
      as explicações de Mr. Darcy podem ser novidade para Elizabeth mas não para nós, não é mesmo?

  9. Raquel disse:

    Gosto muito de orgulho e preconceito, e por isso tem muitos momentos fofos e lindos!
    Quando a Senhora Bennet fica falando dos seus pobre nervos 😉
    Quando Elizabeth lê a carta de Darcy
    Quando Elizabeth conhece Georgina e vê o amor e carinho de Darcy pela irmã
    Quando Jane esta super feliz pelo pedido de casamento do senhor Bingley
    E quando Darcy pergunta a Lizzie se ela mudou os sentimentos por ele, e que ele continua nutrindo o mesmo amor <3

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Raquel,
      a leitura da carta de Darcy é uma luta tremenda para Elizabeth, mesmo reconhecendo as verdades ditas na carta ainda sobra a mágoa da separação de Jane e Bingley.

  10. Gabi Barreto disse:

    Gosto do contraste do momento em que ele a pede em casamento, onde ele está demonstrando deu lado meigo e ela está agressiva mostrando toda sua acidez, é o momento da reviravolta dos sentimentos, pois depois ele assume uma postura dura na defensiva e ela ameniza sua postura pela educação e o amor dele.

  11. Ana disse:

    O Sr. Bennet é um de meus personagens preferidos de todas as obras de Jane e decerto que me regozijo com cada ocasião em que ele aparece. É, definitivamente, o pai que eu gostaria de ter. O que dizer sobre a personalidade deste senhor que ameaçou jamais ver a filha caso ela se casasse contra a própria vontade? Jane foi tão feliz ao delegar a ele cenas tão maravilhosamente espirituosas, inteligentes, sarcásticas, graciosas… Enfim, ademais de todo e qualquer momento em que meu casal preferido se encontravam juntos, o Sr. Bennet meio que protagonizou minhas cenas preferidas.

  12. Magda disse:

    Semana passada acabei de ler pela milésima vez “Orgulho e Preconceito”.
    Acho o romance mais romântico já escrito. Sempre descubro algo diferente.
    Me emociono toda vez que leio a passagem onde Elizabeth e Darcy declaram seu amor um pelo outro. Muito lindo.
    Gosto muito também quando Elizabeth conta ao pai sobre seu amor por Darcy e o pai diz: Você realmente o ama. Não poderia dá-la a pessoa melhor.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Magda,
      sou fã de Mr. Bennet e a pergunta final é a prova que Elizabeth é sua filha predileta.

  13. Josie Muniz disse:

    Muito difícil escolher apenas 03 momentos. O livro inteiro é maravilhoso com excelentes personagens e cenas muito bem escritas. Selecionaria os seguintes momentos:
    1- O primeiro pedido de casamento feito por Darcy, ainda em Kent, na casa dos Collins;
    2- O reencontro de Darcy e Elizabeth em Pemberley;
    3- A conversa entre Elizabeth e Lady Caterine, quando ela tenta afastar Elizabeth de Darcy, tentando em vão fazê-la prometer que nunca iria aceitar a proposta de casamento do sobrinho.
    Orgulho e Preconceito é uma obra prima !

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Josie,
      você pode escolher mais momentos e escrever outro comentário, na enquete mesmo tendo sorteio no final, vocês podem comentar quantas vezes quiserem.

  14. Valéria Sousa disse:

    Minhas partes favoritas são: o passeio pela sala de Elizabeth e Miss Bingley; a chegada, cômica, de Lydia após o casamento e a terceira é da serie da BBC de 1995, o mergulho de Mr. Darcy…. Falando em series, tem uma adaptação de Orgulho e Preconceito que estou assistindo e amando, só que é coreano. Quem tiver interesse taí o link… http://www.viki.com/videos/1053702v-episode-1

    PS: Mr Darcy e Elizabeth são promotores da justiça coreana; e o Wickham é o mais perfeito que eu já vi…

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Valéria,
      o passeio pela sala com a senhorita Bingley é belo exemplo da ironia de Jane Austen! Não conhecia essa série. Dei uma olhada rápida e vi que tem legendas em inglês. Muito obrigada pela indicação, vou fazer um post sobre a série.

  15. pat disse:

    Eu gosto muito da recusa da Elizabeth à 1ª proposta do Mr. Darcy; é um diálogo forte, com tanta emoção de ambas as partes, a Lizzie se expressa tão bem, e ele tenta não ficar por baixo (e o pobre tinha tanta certeza de ouvir um sim, mas acabou ouvindo umas boas verdades, e algumas amargas calúnias também), fico simplesmente encantada toda vez que leio esse trecho. Também tem a carta, é claro, em que Mr. Darcy realmente pode se defender das acusações, mesmo não se redimindo totalmente pois ele admite que causou a infelicidade da pobre Jane.
    Na verdade, é difícil escolher um só momento. Sem querer ser puxa saco, P&P é um livro muito bem escrito, recheado de momentos inspirados como a estadia das irmãs Bennet em Netherfield, o baile na mesma propriedade, as visitas a Rosings e Pemberley, a fuga da Lydia, etc.
    Outra coisa que gosto muito é o humor do Mr. Bennet: amo a reação dele quando descobre que foi o Mr. Darcy quem resolveu a situação da Lydia com o Wickham (eu tinha assistido ao filme de 2005, em que ele fica preocupado em como pagar a dívida, mas a reação original é muito mais a cara do Mr. Bennet. Talvez seja por essa postura tão passiva dele que os pobres nervos da Mrs. Bennet sejam tão atacados, haha. Não me entendam mal, Mr. Bennet é um dos meus personagens favoritos, e obviamente ele tem bom senso, ao contrário da esposa, mas ele bem que poderia se preocupar um pouquinho mais com a situação das filhas – apesar de ter dado tudo certo no final).
    Não posso deixar de mencionar também o subplot relacionado à Charlotte Lucas, de quem sou fã. Gosto da postura dela, uma mulher prática indo atrás do que quer, sem se importar com as críticas; ela não é uma garota que fica sentada esperando o príncipe num cavalo branco. Tudo bem, o “príncipe” dela é ninguém menos que Mr. Collins, mas cá entre nós, eu nunca achei que a Charlotte tenha se arrependido da escolha.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Pat,

      gostei de suas “ouvindo umas boas verdades, e algumas amargas calúnias também”! Também sou fã de Charlotte.

  16. Alanessa disse:

    Outro momento lindo é quase no final do livro, enquanto Elizabeth e Darcy estão conversando, após a declaração e ela pergunta o por quê dele não ter falado com ela durante um jantar, e ele diz que “um homem mesmo emocionado o teria feito”. É lindo ver esse Darcy sensível, que não se preocupa em demonstrar sentimentos depois de tanto tê-los sufocado. Senti muita falta dessa parte nas adaptações, se teve na série não me lembro.

  17. Karol Brígido disse:

    Ler esses comentários me deixou com vontade de ler de novo.. e de novo..
    E é difícil tirar momentos preferidos de uma obra tão perfeita. Ficarei com 7:
    1 – O primeiro pedido de casamento feito por Mr. Darcy, em Kent – aquela conversa é tão intensa que é difícil respirar antes de terminá-la!
    2 – A recusa de Lizzy ao pedido de casamento de Mr. Collins;
    3 – A carta de Mr. Darcy;
    4 – Elizabeth em Pemberley, descobrindo o “verdadeiro” Mr. Darcy;
    5 – A conversa de Lady Catherine e Lizzy;
    6 – Mr. Bennet;
    7 – O segundo e definitivo pedido de casamento de Mr. Darcy!

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Karol,
      aquela conversa com Lady de Bourgh todas nós gostaríamos de ter com algum desafeto!

  18. Raquel disse:

    Oi, Raquel,
    Sobre a carta, você tem total razão, quando li pela primeira vez fiquei imaginando como deve ter sido difícil para ambos, por que no livro a maior parte da visão esta sobre a ótica da Lizzie e a carta mostra a do Darcy. E para nós a surpresa da caráter do Darcy e do carinho dele pelo amigo, pela irmã e mostra principalmente a facilidade de julgarmos as pessoas de maneira errada.
    Outro momento que eu amo, é quando ela conhece a írmã dele, e nas duas adaptações mais famosas, a atuação dos atores foi um primor, pois mostrar apenas pelo olhar o amor, a adimiração e que um esta entedendo o outro não deve ser nada fácil.

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Raquel,
      nem posso dizer muito pois gostei de Darcy desde o início.
      E quando ele disse (sobre Elizabeth) “She a beauty! — I should as soon call her mother a wit.”, eu me apaixonei por ele. Mau! Mau que nem pica-pau!

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Monique,
      e a criatura se recusava a acreditar que ela não queria casar com ele. Amo Mr. Collins!

  19. Cristiane disse:

    Meus momentos prediletos são:
    – O primeiro pedido de casamento feito por Mr. Darcy;
    – Aquela conversa entre Mr. Darcy e Elizabeth em que ele diz: “My good opinion once lost, is lost forever.”
    – O encontro na casa de Sir William Lucas, em que Darcy começa a se interessar por Elizabeth e quando questionado por Miss Bingley sobre seus pensamentos responde que estava meditando no prazer que um belo par de olhos no rosto bonito de uma mulher pode proporcionar. Gosto também da continuação dessa conversa, quando Elizabeth chega na casa de Mr. Bingley para ver Jane, com a saia suja de lama e novamente questionado por Miss Bingley, Darcy responde que os olhos de Elizabeth se tornaram ainda mais brilhantes após o exercício.
    – O segundo pedido de casamento feito por Mr. Darcy.

  20. Lady Jane disse:

    O primeiro momento é quando Jane fica doente em Netherfield e Elizabeth fica na casa para cuidar dela. Darcy começa a se ver em perigo devido a inteligência, o humor e até a beleza dela. O segundo é a leitura da carta que o Mr. Darcy enviou, acredito que foi decisiva para que a Elizabeth mudasse de ideia a respeito do caráter dele e compreendesse melhor suas atitudes. O terceiro momento sem duvida foi o reencontro dos dois em pemberley. O comportamento de ambos (principalmente as gentilezas de Darcy), as conversas entre os dois e os sentimentos que ficaram tão a mostra nesses dias são as minhas cenas preferidas no livro. Outro momento adorável é quando lizzie pergunta o porquê dele não ter falado com ela durante o jantar e ele responde: “um homem menos emocionado o teria feito.”

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Lady Jane,
      também gostei desse momento que ele se dá conta que perdeu o controle de seus sentimentos.

  21. felicia disse:

    Gosto de todos os momentos de Lizzie e Darcy, mas sem dúvida, quando ela o vê em Pemberley saindo do lago me deixa totalmente louca!
    bjs

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Felicia,
      a cena do lago, quando ele mergulha, sinceramente não me toca, mas a surpresa e o embaraço de ambos quando ele está voltando para casa e encontra Elizabeth, achei uma cena perfeita.

  22. Carin Gerber Kupske disse:

    Adoro quando ele se declara pela segunda vez, dizendo que os sentimentos dele são os mesmos do dia em que ela o recusou, e que a resposta que ela deu a Lady Catherine, lhe deu nova esperança…
    Quando Lizzie critica Mr. Darcy para seu primo Coronel Frizwilliam, de forma irônica mas encantadora.
    E só por que são 3 cartões, vamos a um terceiro momento que adoro, quando ela chega com a barra do vestido com lama, para visitar a irmã em Netherfield, chocando a todos, menos Darcy, que começa agora a se preocupar com o fascínio que Lizzie desperta nele…
    Adoro O&P

  23. Victoria Catarina disse:

    Quando, depois daquele passeio mais do que esclarecedor de Lizzie e Darcy, o próprio Darcy e o Mr. Bingley voltam a Longbourn no dia seguinte. Segundo o livro, Bingley cumprimenta Elizabeth com tanto entusiasmo e ênfase que era lógico que já estava a par do compromisso ainda secreto entre ela e Mr. Darcy. Essa passagem sempre coloca um sorriso gigante em mim e, invariavelmente, sempre que assisto a alguma adaptação eu procuro por isso… Um dia encontro!

  24. Lígia disse:

    Precisando reler (novamente), pra colaborar com o post 🙂
    Li muitas vezes o romance (meu preferido) mas como assisto a minissérie de 1995 com mais frequência (de dois em dois meses, mais ou menos, pra matar a saudade) acabo misturando tudo… Mas sempre vou amar:
    — O momento em que o pai dela a apoia na sua rejeição ao Mr. Collins;
    — A visita de Elizabeth aos Collins, e o fato dela não se curvar às vontades de Lady Catherine de Bourgh;
    — Os dois pedidos de casamento de Mr. Darcy, em especial o segundo, quando já estamos roendo as unhas junto com a Elizabeth e seu medo de que os sentimentos dele tenham mudado.

    P.S. Mas a melhor sensação é imaginar a primeira reação de Lady Catherine de Bourgh e Miss Bingley ao saber do noivado de Elizabeth e Darcy. Não tem preço!

    • Raquel Sallaberry Brião disse:

      Lígia,
      a minissérie de 95 sempre me confunde também! Assiste de dois em dois meses!? Fã de carteirinha, hein!

  25. Camila Loricchio disse:

    Eu gosto muito das descrições do cotidiano que a Jane Austen faz… me faz ter vontade de jogar cartas com eles, de ver como eles passavam o tempo, já até tentei pesquisar alguns lugares pra entender como funcionavam esses jogos pra tentar haha
    Mas o momento da carta do Darcy ainda me marca até hoje. <3

    bjs,

  26. Alexia disse:

    Capítulo 34, quando Mr. Darcy se declara a Lizzie: “In vain have I struggled. It will not do. My feelings will not be repressed. You must allow me to tell you how ardently I admire and love you.” Morri mil maravilhosas mortes!!!

  27. Rayna disse:

    1) o primeiro baile de netherfield é especialmente importante – a partir dele que se tem a primeira (péssima) impressão de Darcy
    2) a estadia de Lizzie em netherfield, quando Jane está doente, também acho muito especial. É uma das partes do livro que melhor demonstra o carinho que uma tinha pela outra, além de promover uma aproximação tão esperada de Lizzie com Darcy
    3) e claro, o pedido recusado de Darcy – sem duvida a parte mais intensa e absolutamente incrível!(quando li essa parte, eu mal conseguia acreditar no q tava acontecendo haha)

  28. Bruna Chagas disse:

    Gosto muito do último capítulo do livro no qual Austen descreve as irmãs Jane e Elizabeth, já casadas e ajudando ‘as escondidas dos maridos, a doidinha da Lydia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *