O Diário de Mr. Darcy | Amanda Grange

O diário de Mr. Darcy, de Amanda Grange, está sendo lançado no Brasil pela editora Pedrazul, com tradução de Andrea Carvalho.  O livro estará na pré-venda no site da editora a partir de amanhã, 10 de junho, e se estenderá até 10 de setembro.

E na página do Facebook a editora também anuncia que “sorteará entre os noventa primeiros compradores na pré-venda um sortudo que receberá um exemplar de Um Coração de Milton, de Trudy Brasure”.

Perguntei para Chirlei, do editorial, se publicariam os diários dos outros heróis de Jane de autoria de Amanda e a resposta foi que tem planos mas primeiro vão ver o resultado do Diário de Darcy.

Apresentação da autora pela editora:

Amanda nasceu em Yorkshire e passou a sua adolescência lendo Jane Austen e Georgette Heyer e, ao mesmo tempo, encontrou tempo para estudar música na Universidade de Nottingham. Ela tem vinte e cinco romances publicados, incluindo seis recontagens dos romances de Jane Austen, narrando o ponto de vista de seus heróis. Ela também teve dois livros publicados com pseudônimos diferentes: Murder at Whitegates Manor – um romance de mistério e assassinato regencial, no qual assinou como Eleanor Tyler; e The Rake – um romance regencial muito leve e delicioso, que ela assinou como como Amy Watson.

E uma última recomendação: um post de 2010 com a opinião de uma leitora do blog, “Mr. Darcy’s Diary | Amanda Grange

O diário de Mr. Darcy

Orgulho e Preconceito | Mariana Teixeira Marques

Mariana Teixeira MarquesGostei  muito da entrevista com a professora Mariana Teixeira Marques sobre Jane Austen, mais especificamente sobre o livro Orgulho e preconceito, no canal de literatura da Univesp.

Mariana é doutora em estudos linguísticos e literários em inglês pela USP e também professora de Letras da Universidade Federal de São Paulo, na unidade de Guarulhos.

Vídeo da entrevista no site da Univesp: Literatura Fundamental 80: Orgulho e Preconceito – Mariana Teixeira Marques.

Stolz und Vorurteil | Audio

Para completar o post sobre as traduções de Jane Austen para o alemão consegui este áudio de Stolz und Vorurteil (Orgulho e preconceito).

Não sei em qual tradução é baseado mas certamente é o texto completo pois são seis horas e meia de gravação. A narração, muito agradável, é de Eva Mattes.

Clique na imagem para ser redirecionado ao canal do You Tube.

 

Peculiaridades de Jane Austen em alemão

Em janeiro do ano passado tive uma gratificante troca de emails com o tradutor e professor de alemão, Jose Alexandre da Silva. O assunto, é claro, foi Jane Austen.

Com a devida autorização publico trechos de nossa correspondência para contar para vocês quão interessante é o mundo da tradução e as particularidades de cada língua, neste caso o alemão.

Stolz Vorurteil

Sobres as minhas indicações de traduções de Jane Austen José fez as seguintes observações:

“Das traduções citadas, algumas podem ser consideradas modelos de tradução: tanto as do Ivo Barroso quanto a do Lêdo Ivo. Na Alemanha, as traduções são inferiores se comparadas as do Barroso e do Lêdo. Entretanto a coisa muda, quando comparadas as dos outros tradutores. O parentesco entre o alemão e o inglês (ambas são línguas germânicas) nem sempre garante que as traduções alemãs sejam superiores as nossas.”

Fiquei curiosa sobre a inferioridade de algumas (creio que não devem ser todas) traduções alemãs pois como ele mesmo diz “ambas são línguas germânicas” e perguntei um pouco mais sobre o assunto:

“Alexandre, concordo, temos as ótimas traduções de Ivo Barroso e Lêdo Ivo e sinceramente gosto muito de Rachel de Queiroz com Mansfield. Tenho especial carinho pela tradução de Lúcio Cardoso mesmo reconhecendo o ótimo trabalho de Celina Portocarrero. E claro, temos as tenebrosas!
Muito interessante saber sobre as traduções de Jane Austen na Alemanha. Tem algum detalhe que seja o principal “pecado” nas traduções alemãs?
Por exemplo: as traduções francesas, não sei se em todas, mas pelo menos as primeiras, foram traduzidas em tom mais meloso ou romântico. Esta é a crítica que já li só não posso confirmar pois meus francês não serve mais nem para leitura.”

E vejam que descoberta interessante na pronta resposta de José Alexandre:

“Tem sim!!! o principal pecado é que – e isto vale para a maioria das traduções alemãs, com raras exceções devido à sensibilidade de alguns tradutores, principalmente mulheres (afinal são mais sensíveis) – , devido à dureza da própria língua alemã, os tradutores endurecem determinados personagens. Os que são sensíveis se tornam duros e os que são duros tornam-se mais duros ainda. Mas como isto é feito: simplesmente os tradutores cortam determinadas falas de personagens, principalmente, as que expressam algum sentimento “positivo”, ou seja, a Jane Austen alemã (tadinha) é bem menos sensível que a de qualquer outra nacionalidade. Ah!! o povo também é assim: coisa rara ouvir um eu te amo (ich liebe dich) mesmo entre casais apaixonados.”

Eu gostaria muito de ler uma dessas traduções mas certamente não vou apreender alemão tão cedo (para não dizer nunca…). Mas a curiosidade continua me atazanando e como José Alexandre disse que pretendia comprar alguma tradução de Jane Austen, resolvi colocar o primeiro capítulo de Stolz und Vorurteil (Orgulho e preconceito) de duas traduções que tenho.

Deixo para a apreciação de vocês, principalmente para quem entende alemão, estas duas páginas que são o primeiro capítulo de Orgulho e preconceito. A primeira, da editora Anaconda, com tradução de Karin von Schwab e a segunda, da editora Reclam com  tradução de Ursula e Christian Grawe.

PS: adoraria ver Mr. Darcy “mau que nem pica-pau” até o final do romance…

kapitel_1b

kapitel_1

Carnaval Jane Austen – Fim de festa

Finalmente chegaram meus últimos presentes de carnaval: The Annotated Pride and Prejudice e The Annotated Persuasion, ambos editados e anotados por David M. Shapard e publicados pela Anchor Books, que faz parte da Random House.

Não estava nos meus planos comprar esses livros tão cedo pois são relativamente caros e tenho muitos outros que estão na lista de prioridades. Mas o ótimo preço na Estante Virtual e o dólar pela hora da morte, que me dificultaria muito comprar no exterior, foram imperativos para justificar a compra. E mais um detalhe eu já havia comprado para ler no Kindle Emma e Sense and Sensibility, que aliás continuam com ótimo preço no formato digital na Amazon.

Foi um bom Carnaval. Até o próximo!

Jane Austen Annotated