Stolz und Vorurteil | Audio

Para completar o post sobre as traduções de Jane Austen para o alemão consegui este áudio de Stolz und Vorurteil (Orgulho e preconceito).

Não sei em qual tradução é baseado mas certamente é o texto completo pois são seis horas e meia de gravação. A narração, muito agradável, é de Eva Mattes.

Clique na imagem para ser redirecionado ao canal do You Tube.

 

Peculiaridades de Jane Austen em alemão

Em janeiro do ano passado tive uma gratificante troca de emails com o tradutor e professor de alemão, Jose Alexandre da Silva. O assunto, é claro, foi Jane Austen.

Com a devida autorização publico trechos de nossa correspondência para contar para vocês quão interessante é o mundo da tradução e as particularidades de cada língua, neste caso o alemão.

Stolz Vorurteil

Sobres as minhas indicações de traduções de Jane Austen José fez as seguintes observações:

“Das traduções citadas, algumas podem ser consideradas modelos de tradução: tanto as do Ivo Barroso quanto a do Lêdo Ivo. Na Alemanha, as traduções são inferiores se comparadas as do Barroso e do Lêdo. Entretanto a coisa muda, quando comparadas as dos outros tradutores. O parentesco entre o alemão e o inglês (ambas são línguas germânicas) nem sempre garante que as traduções alemãs sejam superiores as nossas.”

Fiquei curiosa sobre a inferioridade de algumas (creio que não devem ser todas) traduções alemãs pois como ele mesmo diz “ambas são línguas germânicas” e perguntei um pouco mais sobre o assunto:

“Alexandre, concordo, temos as ótimas traduções de Ivo Barroso e Lêdo Ivo e sinceramente gosto muito de Rachel de Queiroz com Mansfield. Tenho especial carinho pela tradução de Lúcio Cardoso mesmo reconhecendo o ótimo trabalho de Celina Portocarrero. E claro, temos as tenebrosas!
Muito interessante saber sobre as traduções de Jane Austen na Alemanha. Tem algum detalhe que seja o principal “pecado” nas traduções alemãs?
Por exemplo: as traduções francesas, não sei se em todas, mas pelo menos as primeiras, foram traduzidas em tom mais meloso ou romântico. Esta é a crítica que já li só não posso confirmar pois meus francês não serve mais nem para leitura.”

E vejam que descoberta interessante na pronta resposta de José Alexandre:

“Tem sim!!! o principal pecado é que – e isto vale para a maioria das traduções alemãs, com raras exceções devido à sensibilidade de alguns tradutores, principalmente mulheres (afinal são mais sensíveis) – , devido à dureza da própria língua alemã, os tradutores endurecem determinados personagens. Os que são sensíveis se tornam duros e os que são duros tornam-se mais duros ainda. Mas como isto é feito: simplesmente os tradutores cortam determinadas falas de personagens, principalmente, as que expressam algum sentimento “positivo”, ou seja, a Jane Austen alemã (tadinha) é bem menos sensível que a de qualquer outra nacionalidade. Ah!! o povo também é assim: coisa rara ouvir um eu te amo (ich liebe dich) mesmo entre casais apaixonados.”

Eu gostaria muito de ler uma dessas traduções mas certamente não vou apreender alemão tão cedo (para não dizer nunca…). Mas a curiosidade continua me atazanando e como José Alexandre disse que pretendia comprar alguma tradução de Jane Austen, resolvi colocar o primeiro capítulo de Stolz und Vorurteil (Orgulho e preconceito) de duas traduções que tenho.

Deixo para a apreciação de vocês, principalmente para quem entende alemão, estas duas páginas que são o primeiro capítulo de Orgulho e preconceito. A primeira, da editora Anaconda, com tradução de Karin von Schwab e a segunda, da editora Reclam com  tradução de Ursula e Christian Grawe.

PS: adoraria ver Mr. Darcy “mau que nem pica-pau” até o final do romance…

kapitel_1b

kapitel_1

Carnaval Jane Austen – Fim de festa

Finalmente chegaram meus últimos presentes de carnaval: The Annotated Pride and Prejudice e The Annotated Persuasion, ambos editados e anotados por David M. Shapard e publicados pela Anchor Books, que faz parte da Random House.

Não estava nos meus planos comprar esses livros tão cedo pois são relativamente caros e tenho muitos outros que estão na lista de prioridades. Mas o ótimo preço na Estante Virtual e o dólar pela hora da morte, que me dificultaria muito comprar no exterior, foram imperativos para justificar a compra. E mais um detalhe eu já havia comprado para ler no Kindle Emma e Sense and Sensibility, que aliás continuam com ótimo preço no formato digital na Amazon.

Foi um bom Carnaval. Até o próximo!

Jane Austen Annotated

Pride and Prejudice | 2014

Uma minissérie para TV, esta é a descrição no IMDb para a produção dos irmãos McGibney de Pride and Prejudice de 2014. Outras informações, como data e onde será apresentada, não constam da página. O elenco é composto de apenas três personagens, Mr. Darcy (Luke McGibney), Elizabeth (Jolie Myatt) e uma criada sem nome (Seana Cooke). No Leftlion, a diretora Rebecca, declara:

“Eu sempre senti que algumas das idiossincrasias interessantes da personagem de Mr. Darcy podem se perder na trama. Dividindo a história em pequenos episódios, de cinco a dez minutos cada, quis explorar alguns aspectos de sua personagem que, como espectadores, não tenhamos visto mais aprofundadamente antes.”

No site McGibney Productions eles informam que,

“2013 viu a produção de um piloto para Web TV da série “Pride and Prejudice” (Rebecca McGibney) que agora está em um maior desenvolvimento.”

Para acompanhar esta obra, que pelo visto será lançada na internet passarei a seguir a página dos produtores no Facebook McGibney Brothers e assim que tiver maiores informações volto ao assunto. Por enquanto deixo dois links de vídeos para vocês terem uma mostra: Vimeo e na página da produtora.

PS: Fiquei sabendo desta notícia pelo Jane Austen Lost in France.

Pride and Prejudice, 2014

Carnaval Jane Austen – Fotonovela Orgulho e Preconceito

Quando li o anúncio de uma fotonovela Orgulho e preconceito, nem pestanejei e comprei a revista pois já havia perdido de comprar outra duas: uma Revista Carinho e outra, uma cópia da Revista Capricho. A revista chegou ontem, uma Grande Hotel de 1959, com uma linda pintura na capa (Jesus, como as revistas de hoje tem capas horrorosas!) e uma surpresa… ai, ai…

Bem, o título exato da fotonovela na verdade é “Amor, orgulho e preconceito”. E não, não é inspirada em nosso Orgulho e preconceito! Ou pelo menos não parece nas três páginas do primeiro capítulo. Pois é, para completar eu teria que comprar as revistas seguintes para ler a história inteira.

Mas, e sempre há um mas, tem “O Morro dos Ventos Uivantes, foto-romance baseado na obra-prima de Emily Brönte”. Mas (outro mas…) já está no sétimo capítulo!

Resumo de minha compra: não sei ainda o que farei com a revista. Talvez fique na bilbioteca como curiosidade.

Revista Grande Hotel