Bicentenário Jane Austen 1817-2017

O bicentenário da morte de Jane Austen tem início hoje, 18 de de julho de 2017. Jane Austen faleceu em 18 de julho de 1817 em Winchester, Inglaterra, e foi sepultada na catedral da cidade.

A cerimonia do funeral, no dia 24 de julho, foi administrada pelo reverendo Thomas Watkins, chantre¹ da catedral e capelão da universidade de Winchester de onde provavelmente conhecia a família Austen.

Minha homenagem nesta data será com um soneto de William Shakespeare na tradução de Ivo Barroso que também traduziu Razão e sentimento e Emma de Jane Austen 50 Sonetos, Nova Fronteira.

Soneto 60

Quais ondas rumo aos seixos de uma praia,
Nossos minutos correm para o fim,
Cada qual sucedendo ao que desmaia,
Lutando por chegar mais longe enfim,
O nascimento, luminoso instante,
Para a maturidade avança herói;
Eclipses frustram sua glória adiante
E o Tempo que o gerou ora o destrói.
Trespassa o Tempo o ardor da juventude,
Enruga a face da beleza opima;
Nutre-se do que é raro em plenitude,
Nada lhe escapa à foice que dizima.
__Mas meus versos esperam no papel,
__Louvando-te, vencer a mão cruel.

E para finalizar, um presente para os leitores do Jane Austen em Português.  Clique neste link e baixe uma imagem com seis ex-libris iguais ao da foto abaixo para imprimir quantos quiser.

Bicentenário Jane Austen 1817-2017 

Bicentenário Jane Austen 1817-2017

 

Novelas Inacabadas na Biblioteca Nacional de Portugal

As Novelas Inacabadas de Jane Austen estão na Biblioteca Nacional de Portugal, junto com a edição comemorativa de Razão e sentimento, e já disponíveis para o público como vocês podem ver neste link. Fica o aviso para as Janeites de Portugal, em especial as de Lisboa.

Em maio deste ano minha amiga Rita Watts do All Things Jane Austen participou de um evento em Portugal em homenagem a Jane Austen e entregou em meu nome o box da Nova Fronteira na tradução de Ivo Barroso e apresentação minha das Novelas Inacabadas: Os Watsons e Sanditon e posfácio de Razão e sentimento, para a Biblioteca Nacional de Portugal.

Ao dar uma olhada no acervo da biblioteca vejo que preciso comprar ainda muitos livros de Jane Austen em traduções portuguesas e também relembrei leituras comparadas que fiz com a amiga Cátia Pereira. Um dia volto para esses estudos!

Novelas Inacabadas Biblioteca Portugal

Novelas Inacabadas Biblioteca Portugal – Box Nova Fronteira

 

Piquenique à moda Jane Austen

Um piquenique à moda Jane Austen tem muitos mais itens do que somente comes e bebes como podemos ver no site Jane Austen 200. Eles oferecem um “pacote de ingredientes” para que possamos fazer o download e aproveitar em nossos piqueniques. São eles:

Imprimi os arquivos e não resisti, montei as flâmulas e o jogo da Cartomante que confesso não levo jeito para o manuseio. Mas o importante é não façamos como Emma Woodhouse em Box Hill e não destratemos a senhorita Bates de modo algum. Mr. Knightley certamente nos repreenderia: badly done, indeed!

Piquenique Jane Austen 200

Piquenique Jane Austen 200

Sorteio de Aniversário 9 anos do blog | Resultado

O sorteio de aniversário de nove anos do Jane Austen em Português teve 72 participantes e os sorteados foram os leitores da lista abaixo. Um email foi enviado para vocês de modo que respondam com seus endereços para que eu possa mandar o presentinho de vocês.

Agradeço a todos participantes e às editoras Nova Fronteira, Saraiva e L&PM que graciosamente ofertaram suas belas edições.

11 · Stella Mar Pertel Quintiliano – Box Nova Fronteira
03 · Luiz Henrique – Livros Saraiva
13 · Elisama Lucena – Livros L&PM

Jane & Me: My Austen Heritage

Jane & Me: My Austen Heritage é o título do mais novo lançamento Jane Austen. O livro é de autoria de Caroline Jane Knight, última descendente da autora que morou em Chatow House, a mansão.

Caroline vocês já conhecem da Jane Austen Literacy Foundation da qual sou uma das colaboradoras e conforme prometido estou revelando a capa no Brasil.

Esta capa é da edição KIndle que vou comprar neste momento no site da Amazon. Mais tarde verei outros sites de compra e datas mais precisas e atualizar o post.

Enquanto esperam vocês podem ler um pouco mais no site All Things Jane Austen.

Jane & Me: my Auste Heritagr

Jane & Me: my Austen Heritage

Elizabeth Bennet em Downton Abbey

Chegou a vez de Elizabeth Bennet em Downton Abbey. No post anterior sobre a série o destaque foi a senhora Bennet e sua propensão para achar que homens ricos estão sempre a procura de uma esposa. Mas voltemos a Lizzy.

A citação ocorreu no sexto episódio da sexta e última temporada de Downton Abbey. O ano é 1925 e a guerra que terminara em 1918 ainda surtia efeito na economia da Europa. Muitos nobres começaram a vender ou alugar suas propriedades por não terem mais condições sustentá-las.

Neste episódio Downton é aberto a visitação cobrando ingressos para um fim específico, ajudar o hospital local. Todos ficaram admirados com o valor expressivo arrecadado e percebe-se que há uma possibilidade de acontecer no futuro para reverter em benefício da propriedade em si.

É claro que Lady Violet não gostou nada da ideia como podemos ver nesta deliciosa conversa com Isobel Crawley, sua eterna inimiga/amiga.

Isobel: People have always tipped the butler to look ‘round a house. Even Elizabeth Bennett wanted to see what Pemberley was like inside.
As pessoas sempre deram gorjetas para mordomos para verem casas. Até Elizabeth Bennet quis ver como Pemberley era por dentro.

Lady Violet: A decision which caused her a great deal of embarrassment if I remember the novel correctly!
Uma decisão que causou a ela grande constrangimento se bem me lembro do romance.

Agora digo eu: se me bem me lembro do romance os Gardiners e Elizabeth não deram gorjetas para senhora Reinolds. Estou errada?

Downton Abbey Elizabeth Bennet

Downton Abbey Elizabeth Bennet

Orgulho e preconceito | Carol Chiovatto

Orgulho e preconceito de Jane Austen está ligado a Carol Chiovatto por dois motivos: o primeiro é o fato de Carol ter feito o papel de Mary Bennet/Mrs. Gardiner na primeira peça baseada numa obra de Jane Austen encenada no Brasil.

Alguns leitores do blog assistiram a peça mas quem não teve a oportunidade convido para visitar a página que fiz especialmente para Orgulho e preconceito do Grupo Fora de Foco. O recital de Mary “Chiovatto” Bennet ainda faz eco nos meus ouvidos…

O segundo motivo é sua tradução de Orgulho e preconceito para a Giz Editorial. , incluindo notas e posfácio intitulado  “Feminino e sociedade em Jane Austen: casamento, afeto e sobrevivência”. Carol é tradutora e publicitária e também autora de vários contos já publicados. Suas primeiras leituras de Jane Austen foram Razão e sentimento e Emma. E obviamente Orgulho e preconceito quando atuou na peça. O quem mais me chamou a atenção em nossa conversa em São Paulo foi ver a alegria e o entusiasmo dela com a tradução e a pesquisa que envolve o trabalho.

A apresentação com o título “Orgulho e preconceito canônico até na cultura pop” é de Adriana Amaral, professora na Unisinos. E fã de Jane Austen! A capa é de Genildo Santana.

Antes de encerrar o post faço um pedido para a editora: a fonte das cartas ficou muito pequenina, que tal aumentar um bocadinho em próxima edição?!

Carol Chiovatto - Orgulho e preconceito Giz Editorial

Carol Chiovatto – Orgulho e preconceito Giz Editorial

 

Doe e ganhe um ex-libris da JALF

Doe e ganhe um ex-libris da JALF, a fundação Jane Austen para Alfabetização conduzida por Caroline Jane Knight, a última descendente da família de Austen que morou em Chawton House.

É muito simples, basta você acessar a página Donate Today e pagar com PayPal pois creio que é a melhor forma de fazer doações para o estrangeiro no Brasil.

Neste verão, (no hemisfério norte) quando vocês fizerem a doação preencham seus dados para receber online um ex-libris exclusivo e numerado com foto da catedral de Winchester.

Há valores sugeridos em libras (£) mas é possível colocar outro valor, como fiz por distração pois não me dei conta e coloquei 10 dólares no lugar de 10 libras e recebi meu lindo ex-libris. Fui a oitava colaboradora e já imprimi!

Ex-Libris JALF

Ex-Libris JALF sobre meu exemplar de Novelas inacabadas

 

Nove anos do Jane Austen em Português

Os nove anos do Jane Austen em Português, completados hoje, 21 de junho, serão comemorados com um sorteio para os leitores, que como já disse em outras ocasiões e repito, são a razão de existir do blog.

Este ano estamos homenageando Jane Austen na passagem dos 200 anos de sua morte e para participar do sorteio é imprescindível que vocês cumpram as duas tarefas abaixo!

  1. Escrever neste post uma frase, uma palavra, não importa o tamanho, em homenagem a Jane Austen.
  2. Assinar pedido neste post: Um pedido para a Nova Fronteira.

NORMAS DO SORTEIO
Sorteio de 21 de junho a 3 de julhoResultado: 4 de julho.
É permitido apenas um (1) comentário por participante
Serão três sorteados: 1) Box Nova Fronteira 2) Livros Saraiva 2) Livros L&PM
Se um grupo usar o mesmo computador para comentar, o que levará a IPs iguais, avise no próprio comentário para não ser desclassificado
Use seu mail verdadeiro e apenas no formulário para que eu possa entrar em contato
Lembrem-se: comentários são moderados e podem levar um tempo para serem publicados
Qualquer um pode comentar mas somente quem tiver um endereço no Brasil concorrerá ao presente.

Nove Anos Jane Austen em Português Sorteio

Nove Anos do Jane Austen em Português – Sorteio

Um pedido para a Nova Fronteira

Nós, fãs de Jane Austen no Brasil, temos um pedido para editora Nova Fronteira: depois do primeiro box com Orgulho e preconceito, Razão e sentimento e Emma, ficamos encantados e queremos outro com os romances Mansfield Park, A abadia de Northanger e Persuasão.

É claro que sabemos que um projeto com a qualidade das edições da Nova Fronteira requer, além de dinheiro, tempo. Portanto prometemos que nesse ínterim teremos a paciência de Fanny Price, leremos romances góticos em homenagem a Catherine Morland e seremos fiéis como Anne Elliot a espera de seu amor!

Fica aqui também uma sugestão minha que tenho certeza muitos leitores do Jane Austen em Português gostarão pois em várias ocasiões me perguntaram se um dia teríamos as primeiras traduções publicadas novamente: que tal as traduções de Rachel de Queiróz para Mansfield Park; de Lêdo Ivo para A abadia de Northanger e de Luiza Lobo para Persuasão?

Vamos então assinar este pedido, queridos leitores de Jane Austen!

Jane Austen Nova Fronteira livros

Livros de Jane Austen da Nova Fronteira

Livros Jane Austen da Nova Fronteira e Saraiva

Livros de Jane Austen em parceria com a Saraiva

Pride and Possibilities: 12, 13, 14

Este mês as emissões de Pride and Possibilities 12, 13 e 14 acumularam e farei um resumo dos três assuntos abordados: Hunsford Parsonage, Winchester e Ex-libris.

O artigo da edição número 12 é assinado por Julia B. Grantham  administradora da página ‘Elizabeth Darcy no Facebook. Júlia ganhou de presente de aniversário uma estadia em Hunsford Parsonage que na verdade é a  Old Rectory em Teigh, que serviu de cenário para as filmagens da casa paroquial de Mr. Collins de Orgulho e preconceito de 1995. O post está maravilhoso com fotos da casa comparando com as cenas da série. Ela avisa que se você quiser ver aquelas belas prateleiras no closet, peça para ficar no quarto de Lizzy. Artigo completo em: Looking for Elizabeth – A Stay at Hunsford Parsonage.

Winchester, cidade onde faleceu Jane Austen foi o tema da edição número 13 escrito pela editora Emily Prince.

Caroline Jane Knight compartilha suas memórias de família – Austen e Knight – com os bookplates, ou ex-libris, que estão nos livros da biblioteca de Chatow House no artigo número 14: Austen Family Bookplates. Abaixo o ex-libris de Caroline com o mesmo lema que usava o reverendo George Austen, pai de Jane Austen: “Qui Invidet Minor Est”, que significa aproximadamente “Invejar é inferior”.

Caroline Jane Knight Bookplate

Caroline Jane Knight Bookplate | Pride and Possibilities 14 | Foto  © Caroline Jane Knight

Ivo Barroso: tradução de Razão e Sentimento

Já escrevi sobre a tradução de Razão e sentimento por Ivo Barroso, mas esta semana Ivo gravou um vídeo especial para explicar suas razões pela escolha do título para Sense and Sensibility no lançamento de um box com três obras da autora publicadas pela editora Nova Fronteira.

Vocês podem também reler a entrevista que fiz em 2010 sobre suas traduções: “Ivo Barroso: entrevista sobre Jane Austen”.

Há também uma deliciosa carta escrita pelo tradutor para Paulo Francis  sobre a tradução do título de Sense and Sensibility que Ivo me presenteou para publicar no Jane Austen em Português: “Ivo Barroso: as razões da tradução”.

Caso o vídeo deixe funcionar acesse o You Tube do Grupo Ediouro.

Razão e sentimento: doença red gum

Em Razão e sentimento, no capítulo 37, ficamos sabendo que o bebê do casal Palmer está com red gum, uma doença comum em recém-nascidos. Charlotte, mãe de primeira viagem fica muito aflita mas a senhora Jennings, sua mãe, tenta acalmá-la dizendo que não é nada demais.

Razão e Sentimento bebê Palmer

Razão e Sentimento Bebê Palmer – Ilustração de Hugh Thomson

Segue o texto em inglês desse episódio para que vocês possam comparar as sete traduções que tenho no meu acervo e no final responder para a leitora Dandara Machado o que descobri sobre a doença e as diferentes traduções.

When I got to Mr. Palmer’s, I found Charlotte quite in a fuss about the child. She was sure it was very ill–it cried, and fretted, and was all over pimples. So I looked at it directly, and, ‘Lord! my dear,’ says I, ‘it is nothing in the world, but the red gum–‘ and nurse said just the same. But Charlotte, she would not be satisfied, so Mr. Donavan was sent for; and luckily he happened to just come in from Harley Street, so he stepped over directly, and as soon as ever he saw the child, be said just as we did, that it was nothing in the world but the red gum, and then Charlotte was easy. (Grifos meus)

As duas traduções, as mais antigas, de Dinah Silveira de Queiroz (1944) e de Mário da Costa Pires de (1961), optaram por erupção natural em recém-nascidos ou simplesmente erupção na pele.

Quando cheguei em casa de Palmer encontrei Charlotte muito alarmada por causa do bebê. Tinha certeza de que estava doente… o pequeno chorava, estava irritado e cheio de bolhas. Ora, querida, disse-lhe eu, não é nada grave. É apenas uma erupção natural nos recém-nascidos, E a enfermeira também dizia o mesmo, Mas Charlotte não se deixava convencer. Mandou chamar o Dr. Donavan; felizmente ele acabava de sair de Harley-Street e atendeu logo. Assim que viu a criança, disse justamente o que tínhamos dito. Não era nada de grave. Então Charlotte ficou tranquila.
| Razão e sentimento, trad. Dinah Silveira de Queiroz. José Olympio, 1944.

Quando cheguei a casa de Mrs. Palmer encontrei a Charlotte num alvoroço por causa do filho., Tinha a certeza de que ele estava doente… e gritava e arrepelava-se que eram borbulhas. Olhei imediatamente para a criança e disse, «Senhor, minha querida, não passa de uma erupção na pele»; a ama disse o mesmo. Mas Charlotte não ficou convencida e mandou chamar Mr. Donavan; felizmente encontram-no quando vinha de Harley Street, por isso chegou imediatamente e logo que viu a criança diagnosticou o mesmo que nós , que não era outra coisa senão erupção na pele e Charlotte ficou descansada.
Razões do coração, trad. Mário da Costa Pires. Romano Torres, 1961.

As próximas três, de Ivo Barroso, Maria Luisa Ferreira da Costa e Therezinha Monteiro Deutsch foram traduzidas por sarampo.

Quando cheguei em casa de Charlotte, fui encontrá-la agitadíssima por causa da criança, que julgava estar muito mal, chorando, enjoadinha e cheia de bolhas. Fui olhando para ela e disse logo, “Ah! bom Deus! ainda bem que não passa de sarampo”; e a ama disse exatamente a mesma coisa. Mas Charlotte não ficou satisfeita e mandou chamar o Dr. Donavan, que por sorte vinha chegando na rua e entrou direto para ver a criança, confirmando o que eu dissera, que a história não passava de sarampo. Com isto, Charlotte ficou mais calma.
Razão e sentimento, trad. Ivo Barroso. Nova Fronteira, 1982.

Quando cheguei a casa de Mr. Palmer, encontrei Charlotte agitadíssima por causa da criança. Estava convencida de que ela estava muito doente… chorava, estava mal-disposta e cheia de bolhas, Olhei imediatamente para ela, «Santo Deus, minha querida!», disse eu.  «Não pode ser mais nada senão sarampo». E a enfermeira disse o mesmo exactamente o mesmo. Mas Charlotte não ficou satisfeita;  portanto, chamou-se o Dr. Donavan. Felizmente, ele acava de vir de Harley Street, por isso veio imediatamente e, logo que viu a criança, disse o mesmo que nós, que era sarampo apenas, e então Charlotte ficou descansada.
Sensibilidade e bom senso, trad, Maria Luisa Ferreira da Costa. Europa América, 2001

Quando cheguei à casa do sr. Palmer, encontrei Charlotte nervosíssima por causa da criança. Minha filha tinha a mais absoluta certeza de que o bebê estava muito doente… Ele chorava, agitava-se e estava todo coberto de pontinhos vermelhos, Olhei-o com atenção e disse: “Oh, Deus! Minha querida, isto não é  mais nada do que sarampo.”A enfermeira dissera a mesma coisa. No entanto, Charlotte não se conformava, por isso chamamos o Sr. Donavan. Felizmente ele estava chegando da Harley Street bem naquele momento e dirigiu-se para a casa dos Palmer sem demora; quando viu a criança disse o que havíamos dito, que nada mais era do que sarampo.
Razão e sensibilidade, trad. Therezinha Monteiro Deutsch. BestBolso, 2001.

As duas traduções mais recentes são parecidas mas não exatamente iguais. Rodrigo Breunig traduz a primeira ocorrência como erupção de gengiva inflamada e a seguinte como erupção em recém-nascido. Alexandre Barbosa de Souza traduz, com pequena variação nas duas ocorrências como, são apenas os dentes de leite e nada além dos dentes de leite.

Quando cheguei à casa do sr. Palmer, encontrei Charlotte bastante atarantada em função da criança. Charlotte tinha certeza que ela estava muito mal, a criança chorava, e se atormentava e tinha a sua pele toda embolotada. Então olhei para ela de perto e “!Deus! Minha querida”, disse eu, “nada é nada grave, é somente uma erupção de gengiva inflamada, e a ama disse o mesmo. Mas não havia como deixar Charlotte satisfeita, então mandamos chamar o sr. Donavan; e felizmente ocorreu que ele acabava de chegar de Harley Street, de modo que veio logo em seguida, e no mesmo instante que botou os olhos na criança ele repetiu exatamente o que tínhamos dito, que não era nada grave, que era somente uma erupção de recém-nascido, e com isso Charlotte de acalmou.
Razão e sentimento, trad. Rodrigo Breunig. Editora L&PM, 2012

Quando cheguei à casa do sr. Palmer, achei Charlotte muito agitada com o bebê. Ela tinha certeza de que ele estava muito doente – ele chorava, estava irritadiço, e todo cheio de brotoejas. Então olhei bem para ele e “Santo Deus, minha cara” eu disse, “são apenas os dentes de leite”; e a babá achou a mesma coisa. Mas Charlotte não se deu por satisfeita, então chamamos o senhor Donavan; e, por sorte, ele tinha acabado de vir da Harley Street, de modo que foi diretamente para lá, e, assim que pôs os olhos no menino, disse o mesmo que nós, que não era nada além dos dentes de leite, e então Charlotte se acalmou,
Razão e sensibilidade, trad. Alexandre Barbosa de Souza. Cia. das Letras, 2012

Comecei a pesquisa nos dicionários onde a palavra gum é definida primeiro como “gengiva” e depois “goma” mas não encontrei a doença. Na busca da internet o termo completo remete para gengivite e dá exemplos de pessoas com dentição adulta.

Até este ponto as “erupções” e o “sarampo” me pareciam os termos mais corretos. Apesar da irritabilidade e choro do bebê, sintomas típicos da fase de dentição, seria pouco provável pois o bebê Palmer tinha apenas quinze dias de vida.

Lembrei então da minha edição anotada de Sense and Sensibility de David M. Shapard. E lá estavam as erupções  e novamente a dentição (teething), baseada na reação de choro e irritação da criança. Com estas novas informações as dúvidas voltaram.

Red Gum - Sense and Sensibility, David Shapard

Red Gum – Sense and Sensibility, David Shapard

Já conformada e acreditando que o pequeno Palmer só para irritar os pais começara a dentição precocemente, procurei o livro Jane Austen and Children de David Selwyn mencionado por Shapard. Em primeiro lugar a citação (abaixo) no livro de Selwyn é do obstetra Alexander Hamilton em seu livro A Treatise of Midwifery publicado em 1780. E para minha surpresa não tem referência aos dentes mas sim uma explicação interessante sobre o sarampo. Traduzo após box.

Red Gum - Jane Austen and Children, David Sewlyn

Red Gum – Jane Austen and Children, David Sewlyn

Red Gum – é uma erupção de pequenas brotoejas, como uma erupção cutânea, a qual, em muitas crianças surge em todo corpo logo após o nascimento; na maioria das vezes desaparece de repente sem causar qualquer inconveniência para a criança, vai e vem, enquanto a mãe estiver amamentando. Se diferencia do sarampo pela ausência dos sintomas e pelo tempo de duração do ataque de sarampo. Pouco há que se fazer, mais do que observar o estado da barriga e tomar cuidado para que o quarto ou as roupas da criança não estejam quentes demais.

A partir daí fui até os confins do Google onde encontrei uma ilustração no Pinterest com informações de uma doença chamada “Strophulus”, também conhecida como red gum e caracterizada por erupções, comum em crianças (só não mencionam a idade). Fonte original: Encyclopaedia Londinensis, or, Universal Dictionary of Arts, Sciences, and Literature, publicado em 1810.

A última pesquisa foi no site da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) onde diz que o sarampo também ocorre em recém-nascidos.

Eu descartaria o problema da dentição e gostaria muito de saber a opinião de um médico para ver se tem algum nome específico para essa doença, em português; se é um tipo de sarampo mais brando que só aparece em recém-nascidos; ou se é uma doença antiga que não ocorre mais.

Para encerrar é preciso que se diga que os tradutores tentam sempre a melhor tradução, e a melhor tradução é a que o leitor vai entender de pronto, ou eles teriam que colocar muitas notas de rodapé. Por exemplo, mesmo não sendo um tipo de sarampo, não perdemos o entendimento do texto, pois é uma doença de pele. Sem contar que até pouco tempo não tínhamos a internet para pesquisar. É vida de tradutor não é fácil!

Jane Austen coleção Clássicos Para Todos

Jane Austen está também na coleção Clássicos Para Todos da editora Saraiva. As traduções são as mesmas da Nova Fronteira, de Lúcio Cardoso para Orgulho e preconceito e de Ivo Barroso para Razão e sentimento.

São edições em materiais mais modestos, capa mole por exemplo, mas sempre com a qualidade do texto. Ambos , no final do texto, trazem uma nota “Sobre a autora”. Orgulho e preconceito tem como introdução a “Nota do tradutor” e Razão e sentimento o artigo que escrevi para a edição comemorativa, “Devotos sem pregações”.

Com os dois exemplares aqui em casa agora me resta esperar que lancem Emma em breve!

A coleção Clássicos Para Todos tem não só clássicos mundiais mas também nacionais. Entre os nacionais meus cobiçados são, A Moreninha de Joaquim Manuel de Macedo e o adorável O Alienista de Machado de Assis. Deste último tenho um volume muito feinho e preciso trocar urgente!

Importante: venda exclusiva na livraria Saraiva. Para quem não tem uma loja física próxima a compra pode se efetuada no site da Saraiva, que tem ótimas promoções.

Jane Austen Clássicos Para Todos Editora Saraiva

Jane Austen Clássicos Para Todos Editora Saraiva

Jane Austen na editora Nova Fronteira

A editora Nova Fronteira publicou Jane Austen este ano duas vezes como vocês já leram aqui no blog: sobre as Novelas inacabadas: Os Watsons e Sanditon e a edição comemorativa ilustrada de Razão e sentimento e por último sobre as  capas de nova caixa com três romances de Austen, sobre a qual darei mais detalhes neste post.

Ontem recebi o última caixa, ou box como queiram chamar, com os três romances completos de Jane Austen que fazem parte do acervo de traduções da editora: Orgulho e preconceito na tradução de Lúcio Cardoso e Razão e sentimento e Emma, ambos traduções de Ivo Barroso.

Vamos aos detalhes pois o capricho da editora é um dos destaques desta nova caixa em papelão duro e muito bem acabado. As ilustrações das capas e das folhas opostas aos frontispícios são de Rafael Nobre. E creio que as guardas, que ilustram as lombadas e estão belíssimas, sejam dele também.

Projeto gráfico de miolo e diagramação são detalhes que mais prezo nos livros e o da Filigrana está discreto e elegante. Não adianta belas imagens se o miolo for algo difícil para os olhos.

As textos adicionais em Razão e sentimento são:  “Ironias e tramas de uma artistas da palavra” de Leonardo Fróes, “O suposto formato epistolar de Razão e sentimento” de D. W. Harding e “Devotos sem pregações” de Raquel Sallaberry Brião, essa que vos fala.

Emma tem somente uma nota biográfica da autora, como em todos os outros. Orgulho e preconceito traz a “Nota do Tradutor”que tem sido publicada desde a sua primeira edição em 1940.

A caixa está na pré-venda com previsão de entrega para 26 de junho. Está com ótimo preço na Amazon e em também na Saraiva e na Livraria da Folha.

Jane Austen Nova Fronteira Box com três livros

Jane Austen Nova Fronteira Box com três livros

Jane Austen Nova Fronteira guardas ilustradas

Jane Austen Nova Fronteira guardas ilustradas

Os livros não são ilustrados. As únicas imagens do miolo são as das folhas opostas ao frontispícios, que são as mesmas das capas. Imagem abaixo .

Caixa Jane Austen Nova Fronteira imagens opostas ao frontispício

Caixa Jane Austen Nova Fronteira imagens opostas ao frontispício

 

Boneca Jane Austen Action Figure Rosa

A boneca Jane Austen da Action Figure com o spencer rosa me agradou muito mais do que a primeira que foi lançada, a de o spencer verde, ou bolero como dizemos em português. E para minha felicidade ganhei de presente da minha amiga, Rita Watts do All Things Jane Austen!

Um adendo: não consegui colocar o livrinho e nem a pena  que fazem parte do conjunto por medo de quebrar algo…

Agora constato que de fato a boneca é de plástico e não de porcelana como imaginei quando escrevi pela primeira vez sobre ela.

Com este post inauguro a tag “Jane Austen Pop” e inicio a verificação de todos os outros com o mesmo tema.

Boneca Jane Austen Action Figure Rosa

Boneca Jane Austen Action Figure Rosa

Rosa Jane Austen

Temos agora uma rosa Jane Austen, batizada com o nome da autora para as homenagens do bicentenário de sua morte.

A rosa, cultivada pela Harkness, foi lançada na feira The RHS Chelsea Flower Show no dia 22 de maio e mais adiante será plantada no jardim do Museu Jane Austen.

Vale lembrar que a Harkness lançou em 2013 uma rosa “Pride and Prejudice” para comemorar o bicentenário do livro.

Aqui está uma foto da rosa em belíssimos tons alaranjadas e vibrante como seus personagens como descreve o artigo no site do museu: “Alan Titchmarsh launches Jane Austen Rose at Chelsea”.

Rosa Jane Austen

Rosa Jane Austen | Foto: Jayne Lloyd

Capas Jane Austen caixa Nova Fronteira

Chegaram neste momento as capas dos livros da caixa Jane Austen publicados pela editora Nova Fronteira. Vejam só que lindas!

Os livros são Orgulho e preconceito, tradução de Lúcio Cardoso; Emma e Razão e sentimento, ambos tradução de Ivo Barroso. A caixa já está na pré-venda na livraria Saraiva com previsão de lançamento em 26 de junho.

A editora me mandou as imagens antes da caixa pois eu estava quase infartando de curiosidade e claro, doida para mostrar para vocês, queridos leitores!

Quando a caixa chegar aqui em casa farei mais fotos e darei detalhes do miolo, da capa e das ilustrações. Prometo.

Capa de Orgulho e Preconceito Caixa Nova Fronteira

Capa de Orgulho e Preconceito Caixa Nova Fronteira

Capa de Razão Sentimento caixa Nova Fronteira

Capa de Razão Sentimento caixa Nova Fronteira

Capa de Emma caixa Nova Fronteira

Capa de Emma caixa Nova Fronteira

Pride and Possibilities 11: Tia Jane

O artigo 11 de Pride and Possibilities, intitulado “Aunt Jane” (Tia Jane), sobre a tia que foi Jane Austen e seu relacionamento com os inúmeros sobrinhos foi escrito por Emily Prince, editora do períodico.

Traduzo um pequeno trecho do artigo sobre a importância de ser tia, na opinião da própria Jane, em uma carta escrita para a sobrinha Caroline que na ocasião tinha dez anos de idade e se tornara tia pois sua irmã, Anna Lefroy, dera à luz a uma menina,  Anna-Jemima.

Anna, Caroline e James Edward Austen-Leigh (sobrinho que escreveu a primeira biografia de Austen) eram filhos James Austen, irmão mais velho de Jane Austen.

“Agora que você se tornou tia, você é uma pessoa com certa importância & deve atrair grande interesse em tudo que você fizer. Tanto quanto possível, eu sempre sustentei a importância das Tias & tenho certeza que você está fazendo o mesmo agora. Acredite-me minha querida irmã-tia. (Carta escrita em 30 de outubro de 1815)

Tia Jane, sobrinhos: James Edward, Anna e Caroline

Tia Jane, sobrinhos: James Edward, Anna e Caroline | Foto: blog Austenised

 

 

Jane Austen roubou meu namorado

Jane Austen roubou meu namorado é o título de mais um livro de Cora Harrison, traduzido e publicado pela editora Rocco. O outro livro foi Eu Fui a Melhor Amiga de Jane Austen, ambos tradução de Dilma Machado.

A editora também publicou outros dois livros inspirados em Jane Austen: Aprendi com Jane Austen de William Deresiewicz e O clube de leitura de Jane Austen de Karen Joy Fowler, Este último estou lendo.

O livro está em pré-venda na Amazon com previsão para 7 de  junho e de onde transcrevo a sinopse abaixo para vocês terem uma ideia da história.

Baseado nos diários da escritora Jane Austen na adolescência, este divertido romance juvenil é uma história de aventura, mistério, fofocas e, claro, flertes e paixões. Uma das autoras mais queridas em todo o mundo, cujo bicentenário de morte ocorre este ano, Jane Austen (1775-1817) segue arrebanhando uma legião de fãs em pleno século XXI com romances nos quais retrata a sociedade inglesa de sua época com precisão e ironia. Em Jane Austen roubou meu namorado, a escritora irlandesa Cora Harrison recria, para os jovens de hoje, a atmosfera dos livros da própria Jane Austen mesclando ficção e dados reais, a partir dos diários da autora de Orgulho e preconceito. O livro retrata as peripécias amorosas da futura escritora, que já se considerava uma especialista em assuntos do coração, e de sua prima Jenny.

Jane Austen roubou meu namorado

Jane Austen roubou meu namorado